Contos de Casal


Ola me chamo Lucas, tenho 40 anos, casado, alto, magro. Minha mulher se chama Simone, magrinha, seios médios, bumbum arrebitado, tem 34 anos, muito gostosinha. Estamos casados há 10 anos, e vivemos muito bem sexualmente falando. Já realizamos varias fantasias e temos muitas ainda por realizar.

Já pensei num swing, mas acho que ela não aceitaria, pois é muito conservadora, mas quem sabe…

Numa noite na hora da transa, não sei porque, falei no ouvido dela que tal uma terceira pessoa aqui em nossa cama.

 Imediatamente ela parou e me olhou com raiva dizendo que eu estava louco, que apenas eu já estava muito bom, que se eu estive pensando em mais uma mulher ai sim as coisas iriam ficar feia.

Deixei passar o tempo, nunca mais tocamos no assunto.

Neste feriado de junho, recebemos em casa uma prima dela junto com seu marido. Eles moram em outra cidade e vieram passear por aqui. Chamam-se Carlos e Bruna. Carlos um homem forte com seus 39 anos, alto, também magro, uma boa aparência. Já Bruna se parece com minha esposa, magrinha, seios pequenos, uma bundinha linda, loira,  no seus 31 anos. Eles chegaram na quarta a noite, conversamos muito, pois fazia muito tempo que a gente não se encontrava. La pelas 3 horas resolvemos dormir, Carlos e Bruna ficaram no quarto de hospedes. Não sei porque naquela noite Simone estava com um fogo danado, mal fechamos a porta ela me agarrou e me beijou gostoso, dizendo que estava louca pra dar pra mim. Arrancou minha roupa e logo estava fazendo um boquete daqueles, chupava muito gostoso. Não sei porque, naquela noite me voltou a idéia do swing, e com muito jeitinho falei novamente no ouvido dela, e desta vez qual não foi minha surpresa, ela não retrucou, apenas ficou quieta e continuou fazendo amor comigo.

Depois da transa ela resolveu conversar comigo sobre esse lance. Perguntou se fazia tempo que eu tinha essa idéia. Que ela não concordava, mas que com o tempo podia se acostumar com a idéia. Perguntou também se eu estava preparado de ver ela com outro homem, vendo ela gozando em outro pau. Eu disse que sim, que gostaria muito de ver essa cena, ela segurando outro pau entre suas mãos, acariciando, chupando e sendo comida por outro. Novamente ela me chamou de louco, mas desta vez com um sorriso no rosto. Fomos tomar uma ducha e dormimos.

Acordamos cedo, tomamos café e fomos ao mercado, pois iríamos fazer um churrasquinho durante o dia. Voltamos e fomos preparar o churrasco. Bebemos, falamos besteiras, só sei que comecei a prestar mais atenção na Bruna, ela estava com um shortinho jeans bem pequeno, que deixava sua bundinha muito gostosinha. Minha mulher estava com uma mini saia branca e uma camiseta, tb tava uma delicia.

Carlos foi ao banheiro urinar e apenas encostou a porta. A tarde fomos descansar um pouco pq de noite iríamos continuar o churrasco. Simone disse que tinha que falar uma coisa comigo, mas estava com receio, eu disse pra ela falar logo. Ela falou que foi ao banheiro fazer xixi e entrou e pegou o Carlos literalmente com o pau na mão, rsrsrs.

Ficou olhando por um instante, pediu desculpa e saiu. Ela perguntou se eu não estava com raiva, eu disse que não, e perguntei como era o pau dele.

- Seu bobo, igual ao seu oras

- Grande, pequeno, grosso, – quis saber

- Meio grande, um pouco maior que o seu

- E ai, vc gostou?

- Já vem com aquele papo de novo né, sabe uma coisa, gostei, achei lindo, a Bruna tem muita sorte.

Fomos descansar, mas fiquei pensando no que a Simone disse, acho que o caminho já estava traçado, apenas teria que ajeitar as coisas. Dormimos ate a noite.

Acordamos lá pelas 07:00 horas, fomos a cozinha para comer algo, encontramos Carlos e Bruna tomando uma cervejinha. Resolvemos acompanha-los na bebida. Carlos estava de sunga e comecei a prestar atenção em sua ferramenta, tentando imaginar o tamanho, pois como Simone havia falado, era maior que o meu, e olha que tenho um de 18 cm. Começamos a bater um papo descontraído, falando de nossas vidas, trabalhos, até que chegou em sexo. Conversamos sobre fantasias realizadas, demos muita risada. Até que eu toquei no assunto sobre o tamanho do pau do Carlos, dizendo que era meio grandinho. Bruna perguntou logo de cara, como eu saberia, respondi que a tarde quando Carlos estava no banheiro Simone sem querer entrou e viu tudo. Neste instante olhei para ela que estava vermelha de vergonha, até comentou que vc Bruna era uma mulher de sorte. Acabamos caindo na risada. Nisso perguntei ao Carlos se ele não queria mostrar pra gente como era ao vivo. Simone disse que eu estava louco, senti um clima meio estranho, achei que Carlos e Bruna ficaram espantados, mas qual não foi a minha surpresa quando Bruna disse:

- Mostra amor, tudo bem.

Carlos levantou, percebi que estava com o pau duro, tirou e saltou um belo pau.

- Viram, grandinho ele, mede 21 cm. Disse Bruna

Simone não tirava o olho, mas não falava nada.

Carlos ficou massageando mas logo colocou a sunga.

- Lucas, vc é louco, imagina o que eles vão pensar da gente. – Disse Simone

Simone levantou e saiu da cozinha. Fui atrás e pedi desculpas, falei que não iria forçar mais nada.

Voltei a cozinha, conversei com eles, dizendo que tinha feito bobagem, pedindo mil desculpas.

- Tudo bem, acho que também passamos do limite, disse Bruna.

Chamamos Simone e voltamos a beber e conversar outros assuntos.

As horas passaram e quando vimos já era bem tarde. Resolvemos dormir.

Na cama conversei com Simone sobre o ocorrido, falando que eu estava fora de mim.

- Tudo bem amor, já passou, mas não entendo essa tara sua de me ver com outro.

- Sei lá, acho também meio louco, confuso, mas fico excitado só em pensar.

- Será que vc agüentaria vendo sua esposinha gozando em outro pau, me satisfazendo?

Nisso ela pegou meu pau que já estava duríssimo e começou a fazer um chupeta deliciosa.

Ouvimos barulho no corredor e como a porta estava aberta paramos. Era Bruna e Carlos saindo do banheiro. Eles pediram licença e entraram em nosso quarto, disseram que estavam sem sono. Bruna esta com um baby-dool verde clarinho bem curtinho, com uma calcinha enfiada na bundinha. Carlos ainda estava de sunga. Simone estava com uma camisolinha bem curtinha que deixava sua calcinha a mostra. Eu estava apenas com um travesseiro cobrindo meu pau.

Vendo Bruna naquele trajes, fiquei excitado.

- Aquela cena na cozinha nos deixou com um enorme tesão e uma das nossas fantasias era transar num mesmo ambiente com outro casal. Disse Carlos. – Mas sem troca.

Olhei para Simone e ela não falou nada, então tirei o travesseiro de cima do meu pau e falei:

- Por mim tudo bem, puxei  a Simone que começou a me chupar novamente.

Carlos começou a acariciar os peitinhos de Bruna, tirou pra fora e começou a chupa-los. Tirou todo o baby-dool deixando ela apenas de calcinha.  Fiz Simone parar de me chupar e ficamos apenas olhando o casal se deliciando.

Bruna abaixou, tirou a sunga do marido e começou a chupar aquele pauzão enorme, não cabia direito na boquinha dela. Ela chupava, lambia as bolas dele. Coloquei a mão sobre a calcinha de Simone e percebi que estava encharcada.

Ficamos olhando Simone chupar o pau do Carlos com muita vontade. Ela lambia da cabeça até o saco, depois voltava apenas lambendo. Carlos ia a loucura. Simone me acariciava, batendo uma punheta bem devagar, se deliciando com o boquete de Bruna.

Depois Carlos pegou Bruna, deitou-a na cama e começou a chupa-la, dando beijinhos na boca, descendo para o pescosso, chegando até aos peitinhos que estavam durinhos. Desceu mais um pouco, passou pelo umbiguinho e chegou na calcinha que nestas alturas estava encharcada. Arrancou com os dentes a minúscula calcinha e começou a chupar bem gostoso a bucetinha. E que bucetinha tinha Bruna, pequena, com poucos pelinhos. Carlos ficou nesta chupação por vários minutos, quando parou e perguntou pra gente se iríamos ficar só olhando.

- Tá muito bonito de olhar, continue. Disse eu.

Carlos ergueu as pernas de Bruna, e se preparou para penetra-la, colocando a cebeça do pau bem na entradinha, fazendo desaparecer por completo. Bruna começou a gemer, dizendo palavras sem nexo, gritando que estava muito bom, que o pau dele era maravilhoso. Carlos estocava com vontade agora, fazendo Bruna delirar, quando gozou, soltando um grito de prazer.

Agora seria nossa vez, pois eles queriam também ficar assistindo nossa transa.

Peguei Simone, tirei sua camisola, surgiu dois peitinhos lindos que coloquei em minha boca, fazendo Simone gemer, desci direto para sua xaninha, tirei sua calcinha que estava tão molhada que parecia que tinha urinado nela. Comecei a chupar aquela coisinha preciosa, colocava minha língua bem fundo, dava mordidinhas em seu grelinho, fazendo ela gemer de tesão, implorando para penetra-la. Deitei na cama de barriga pra cima e Simone veio por cima, ela adora essa posição. Sentou gostoso em meu pau, começou um sobe e desce bem devagar, aumentando conforme o tesão aumentava. Olhei para Carlos e Bruna, os dois estavam se deliciando com a cena.

Após um tempo Simone começou a gozar, dizendo que estava muito bom, não esperei mais e gozei, um gozo farto, dentro da sua bucetinha.

Após começamos a conversar sobre o ocorrido, e como foi prazeiroso para todos. Ver Bruna peladinha na nossa frente sendo comida pelo seu marido, gozando com tanto tesão, e sendo realizado uma fantasia deles, foi muito legal. Com certeza digo a mesma coisa sobre Simone, que pela primeira fez ficou pelada na frente de outro homem e ainda transou comigo sendo olhada de todo jeito, ficou uma esperança que um dia ainda vamos realizar meu desejo, uma troca de casais. Com certeza quando isso acontecer irei contar pra vocês. Desejamos receber comentários em 

Postar um comentário

Designed by OddThemes | Distributed by Gooyaabi Templates