Aniversário de Namoro (Heterossexual)


Olá pessoal, essa é a primeira vez que posto um conto aqui na casa. Sou leitora assidua, mas nunca tive coragem de escrever nada. Ou seria falta de bons motivos inspiradores? Voto na segunda opção.
Bom, meu nome é Jessica, acabei de completar 20 anos. Namoro com o Edu. Sou louca pelo meu namorado, não tenho coragem de trai-lo com homem nenhum desse mundo. Desde o primeiro beijo, nós sempre nos demos muito bem, em todos os sentidos. O nosso unico problema são os horários trocados dos nossos trabalhos. Eu trabalho pela manhã e faço faculdade de noite. O Edu faz o contrário. Completamos um ano de namoro na ultima quinta, e por coincidência o Edu estava de folga.
Na minha cabeça já estava tudo meio que armado. Iríamos comemorar no motel que é indiscutivelmente o melhor lugar para um casal de namorados fazer um amor bem gostoso e sem restrições.
O Edu passou aqui em casa por volta das 20:00h e me levou pra jantar.
- Você está linda.
Eu estava tão ansiosa, com tanto tesão a flor da pele que mal consegui comer. Minha voz falhava e segundo ele meu rosto estava vermelho. Claro! Só eu sabia o que estaria prestes a acontecer.
Chegamos. Eu subi as escadas na frente, o Edu ficou pra verificar o carro. Sentei na cama, e pensei rapidamente ...*se é uma coisa tão especial, vamos fazer direito então, com calma.. vamos prolongar nosso prazer ao máximo. Se controla, Jessica!*...
Finalmente o Edu subiu, e para minha surpresa, trouxe com ele uma garrafa do meu vinho preferido e também rosas, lindas rosas vermelhas. Ahh ele é tão fofo! Isso só me deu mais confiança pra fazer o que eu planejei fazer a semana toda.
Edu me entregou uma taça, e sentou na cama ao meu lado. Começou a falar algo sobre o quanto estava feliz vivendo comigo, o quanto precisava agradecer, meu carinho e minha paciencia.. Que eu era a mulher que ele sonhara conhecer a vida inteira.. E mais umas coisas que na minha inebriação, não consegui memorizar. Apenas olhei para ele, tentando demonstrar carinho, mas acho que só consegui transmitir o tesão absurdo que eu estava sentindo. O Edu tirou a taça ja vazia da minha mão e depositou as duas na mesinha ao lado da cama, veio pra cima de mim e eu fugi.
Sim! Como eu disse antes, eu já tinha pensado em tudo.
Pedi a ele que sentasse na cama, apoiado na cabeceira. Sentei por cima dele. Estávamos com nossas roupas ainda. Eu o abracei e disse apenas que o amava demais, e que essa noite seria a melhor noite da vida dele. Nos beijamos com ternura, com desejo porém com carinho.. Um beijo calmo, cheio de tesão.. Nossos corpos tremiam, e ambos se esforçavam para controlar o fogo que nos consumia. Continuamos nos beijando durante um tempo, sentindo as bocas, as línguas. Nossa que delícia. Claro que o pau do Edu já estava duro feito pedra, mas dessa vez ele iria esperar um pouco mais. Deixei o Edu tirar minha blusa. Eu estava sem sutiein e logo ele comprovou que meus bicos estavam super duros e os pelinhos do meu corpo estavam arrepiados. Deixei-o se esbaldar nos meus seios enormes, Edu sempre foi apaixonado por eles, sem disfarces.
Ele lambia, mordia, chupava com força... Comecei a rebolar no colo dele, sentindo aquela tora por fora da minha bucetinha.. Que tesão, meu Deus! Enquanto me chupava nos peitos, Edu tirou suas roupas, ficando só com a cueca, branca. O volume marcado na cueca chegava a ser assustador. Eduardo tem um pênis enorme. Lembro até hoje de como foi difícil no começo.. E quando ficamos algum tempo sem fazer, também dói muito na hora da penetração. Mas ok, sempre usamos lubrificante.
Tirei minha calça, e Edu tirou minha calcinha, rindo disse que não estava aguentando. E fingi uma cara de brava e empurrei-o contra a cama, ele caiu deitado. Sentei-me sobre ele novamente, agora sem calcinha, a coisa mais dificil da minha vida foi aguentar a tentação de pular encima daquele pau babado. Mas eu consegui controlar.
Beijei meu namorado de todos os jeitos possíveis, ele já respirava fundo, parecia um touro.. Fui descendo, na barriga, nas coxas.. Dei uma mordidinha no pau do Edu sob a cueca. Ele até segurou a respiração. Segurou minha cabeça também, querendo que eu chupasse logo, e eu obedeci.
-Chupa. Chupa logo meu pau sua cachorra gostosa. Você quer me matar hoje, né?
Tirei a cueca e o pau do Eduardo pulou pra fora, livre. Imenso como sempre, com a cabeçona vermelha, toda molhada, nossa! Caí de boca naquele pau maravilhoso. Lambi a cabeça, chupei as bolas, lambi toda a extensão do pau, de baixo para cima, deixando ele bem molhado de saliva. Sem colocar as mãos, coloquei o pau do Edu na boca e mamei com gosto. Forçava ele até a garganta, e logo estava engasgada, tossindo.. Sabia que isso o deixava louco de tesão.
-Isso, engole, engole.. Ahhhhhh... Sua puta safada. Fica de quatro aqui do meu lado, fica?
Fiquei exatamente como ele me pediu, chupando a piroca dele, mas com a bunda virada pra ele, de quatro, com as pernas semeabertas.. Ele conseguia ver minha bucetinha melada que eu já sentia escorrer entre as coxas. Eu continuei chupando e lambendo aquela pica deliciosa, ele dava tapas na minha bunda, dizendo como ela era linda e como ele ia me foder muito aquela noite.
Edurado estava tendo espamos de gozo, eu conheço meu namorado, e não queria que ele gozasse naquela hora. Então fui desacelerando os movimentos e parei. Virei pra ele e o beijei com tesão. Ele foi se levantando e vindo pra cima de mim, já perguntando sobre o lubrificante. Eu ri, e disse.
-O lubrificante está na sua boca, amor. Cuida dela vai.. Cuida da minha buceta.
Nossa, o olhar que ele deu pra mim, quase me fez gozar. Que cara de safado. Edu abriu minhas pernas e deu uma lambida só na minha buceta, de baixo pra cima.. Só pra me deixar na vontade, depois ficou me provocando. Beijando meus pés, minhas coxas, minha barriga.. Apertando meus seios.. Eu não aguentava aquilo.
- Me chupa...
- O quê?
- Me chupa, porra! Quero gozar na sua boca.
Ele apenas me deu uma ultima olhada, antes de cair de boca na minha bucetinha, que já saltava de tesão. Lambeu muito, dava chupadinhas no meu grelo.. Socava dois dedos dentro dela.. E eu gemia, gemia e rebolava na boca do meu macho. Aquilo estava muito bom. Eu ia gozar, sabia disso. E Edu sabia também, quando começou a sentir as contrações da minha vagina, o filho da puta parou.
- Ahhhhhhhhhhh NÃÃÃOOO!! Não amor, não!!! Por favor!!
Ele deu um tapa na minha cara.
- Shio! Cala a boca, vagabunda. Quem manda nessa buceta sou eu. E ela vai gozar a hora que eu mandar. Agora fica de quatro.
Nossa, que tesão! Fico louca quando sou tratada dessa forma na cama. Quase gozo, só de pensar...
Fiquei de quatro. A posição que mais dói devido ao tamanho daquela pica enorme. Eduardo parou o pau na entradinha da minha buceta. Pegou meu cabelo, preto e longo.. Deu três voltas na mão e puxou com força.
- Entra. Entra na minha pica, vai vagabunda.
Fui indo pra trás, devagar, sentindo aquele pau imenso entrar na minha buceta..
- Aiii.. que delicia amor! Me fode, vai?
Ele deu ainda uns três tapas na minha bunda, e umas três estocadas vagarosas na minha buceta. Depois fodeu com força, força mesmo.. Eu gritava de tesão e dor, sentindo aquela tora batendo no meu ultero. Ele apenas continuava, os tapas e as estocadas, os tapas e os puxões de cabelo..
- Ahhhhhh!!!! Ahhhhhhhh! Caralho! Ta doendo.. Ahhhhhh
- Cala a boca e goza, goza sua puta safada. (e tome outro tapa)
Ele cuspiu no meu cu. Com o pau parado, enterrado na minha buceta, ele começou a forçar um dedo no meu cu. Eu nunca tinha deixado nada parecido. Tenho um pavor imenso de dar o cu pro Eduardo.
- Não ouviu o que eu disse? Aproveita que eu tô deixando. Goza nessa pica que ainda vai te comer muito hoje. Amanhã você não vai nem andar.
Aquelas palavras, e aquele dedo entrando e saindo do meu cu foram o suficiente. Comecei a sentir o gozo próximo, senti as contrações na vagina, e o Edu meteu com força.. Meteu cadenciado e com força.. Colocou dois dedos no meu cu e eu gozei na hora.
Caí na cama, tremendo e me contorcendo. Só então que senti algo quente na minha bunda e nas minhas costas. Eram jatos de porra. Meu namorado tinha acabado de gozar junto comigo, me melando toda.
Respiramos mais um pouco e fomos tomar banho juntinhos e apaixonados.
- Gostosa?
- Hum...
- Qual foi mesmo a surpresa que você preparou pra mim, hoje?
Não quis responder assim, na lata. Então fingi deixar cair algo e abaixei pra pegar.. Deixando o bundão pra cima e o cuzinho aparecendo. Pisquei o cuzinho pra ele.
- Ta brincando né?
Levantei, e agarrei-me nele.
- Não me deixe pensar duas vezes.
O pau dele deu sinal de vida na hora, e ele me pegou no colo me levando para fora, para a cama.
Pronto, estava dito. Não tinha para onde fugir.

Postar um comentário

Designed by OddThemes | Distributed by Gooyaabi Templates