Final de semana inesquecivel com o Tio




Olá, me chamo Ricardo, tenho 23 anos e o que vou relatar aqui aconteçeu quando eu tinha 15 anos.
No final de meu último dia escolar, fui embora super feliz por saber que não teria que voltar a escola. Cheguei em casa super cansado, cheio de fome e logo perguntei:
- Mãe, e o almoço?
Ela disse:
- Calma, primeiro tenho que te contar uma novidade, iremos viajar pra casa da sua madrinha, passar o natal e a virada do ano lá.
Fiquei super contente pois iriamos viajar, mas não só por esse motivo, também porque iria ver meu Tio chamado Humberto, na época com seus 32 anos. Um cara alto de cabelos castanhos, olhos escuros e corpo definido. Logo no dia seguinte já estavamos partindo rumo a Caldas Novas, onde minha madrinha e ele moravam.
No caminho fiquei lembrando de algumas situações que tivemos e toda vez que lembrava de seu corpo, confesso que eu sentia uma coisa que nunca havia sentido. Até então eu não havia tido experiência com homens. Chegando lá, tivemos uma recepção muito calorosa, minha madrinha veio correndo nos receber e nos abraçar, depois veio meu tio, e logo disse:
- Não vai abraçar seu tio não?
- Claro tio, vem aqui!
Nisso ele estava no portão, fui em sua direção e dei um abraço nele. Mas algo estranho aconteceu, ele me abraçou e roçou a barba no meu pescoço, nossa eu arrepiei na hora! Dei uma olhada pra ele e ele me deu um sorriso sacana. Não entendi muito bem mas aquilo mexeu comigo. Decidimos ficar por lá mesmo e ir para os clubes no dia seguinte. Fomos dormir e eu não conseguia pegar no sono de jeito nenhum pensando no que havia acontecido no portão, mas logo depois de um tempo adormeci.
No dia seguinte acordamos e tomamos um belo café da manhã. Eu estava destraído contando as notícias e acontecimentos para minha madrinha, quando de repente ele passa só de sunga, mostrando quele peitoral definido, mas quando dei por mim, estava quase babando e não parava de olhar, e ele disse:
- Tá gostando disso, Ricardo?
Eu sem graça respondi:
- Não tio, só estava olhando o quanto o senhor tem malhado.
- Ah sim, tenho me dedicado a academia um pouco.
- Então, vamos logo para o clube? Ele disse com uma voz animada.
E assim, arrumamos nossas coisas e fomos para um clube ali perto. No caminho para o clube começei a lembrar da cena de meu tio de sunga, e por um momento fiquei excitado. Eu estava ao lado dele e acho que ele deve ter percebido, pois não parava de olhar, meu pau já estava duraço, quando ele perguntou:
- E as namoradas? Já tem muitas? Ele perguntou colocando a mão na minha coxa, muito perto do meu pau.
- Não, por enquanto não tio.
- Tá certo, na sua idade o bom é cutir!
Eu dei uma risadinha sem graça. Enfim chegamos. Minha mãe e minha madrinha logo foram se bronzear, e eu fui para a sauna, já que estava vazia, pois o clube tinha sido aberto há pouco tempo. Fiquei lá por uns 10 minutos quando a porta se abre, e meu tio entra, dando um sorrizo pra mim e eu fiquei sem graça e excitado ao mesmo tempo, pois só havia nós dois lá. Ele puxou conversa, e ficamos ali, muito tempo falando quando ele diz:
- Sabe Ricardo, notei que você não parava de me olhar ontem e hoje.
Eu fiquei gelado, queria sair de lá correndo mais o tesão falou mais alto. Ele estava esfregando a mão na sua sunga, que já estava fazendo um baita volume. E eu disse:
- Não tio, tá doido? É impressão sua.
E eu não conseguia parar de olhar para aquela sunga, nisso meu pau já estava a ponto de bala. E ele esfregando mais ainda disse:
- Eu sei que você gosta disso aqui, Ricardo. Vem aqui, coloca a mão nele!
- Não tio, tá doido? Tá achando que eu sou viado?
Ele pegou minha mão e colocou por cima da sua sunga. Senti seu pau, parecia muito grande e logo ele disse:
- Bate uma pro titio, vai?
Não resisti e tirei o pau dele pra fora. Fiquei surpreso, nunca havia visto um pau daquele tamanho, devia ter uns 20cm. Não estava satisfeito só com a punheta, eu tinha que sentir o gosto do pau dele. Então fiquei de joelhos na sua frente e começei a mamar aquele imenso cacete. Ele dizia:
- Nossa, onde você aprendeu a mamar tão gostoso assim? Isso vai, chupa o titio, vai.
Então continuei a chupar aquele pau, parecia um bezerrinho desmamado, e logo disse:
- Titio vai gozar na sua boca! Abre ela e coloca a linguinha pra fora.
Eu mais que depressa obedeci, ele punhetou e logo ele punhetou e soltou um urro, e logo minha boca estava cheia de porra, nunca ví alguém gozar tanto assim. Mesmo assim engoli tudo. Ele subiu sua sunga e disse:
- Eu ainda quero comeu seu cuzinho!
Eu fiquei louco, olhei pra ele e disse:
- Quando o senhor quizer.
Saí da sauna e o deixei, pensando no que havia ocorrido. O dia foi passando, me diverti muito, e sempre que dava uma olhada pro meu tio ele estava olhando pra mim. Fomos embora. Chegando em sua casa, minha mãe perguntou se queriamos sair para comer e meu tio disse:
- Vão numa pizzaria no centro, a pizza de lá é uma maravilha.
Ele sugeriu que minha madrinha fosse com minha mãe e elas foram. Eu senti que ele fez isso só para termos um momento sozinhos, então fui tomar banho. Bati uma pensando nele e gozei muito, como nunca havia antes. Quando saí do banheio ele estava só de cueca deitado na cama, olhando para mim. Eu já sabia o que estava por vir, meu coração bateu a mil. Então ele me puxou e me deu um beijo muito gostoso. Eu até estranhei porque ele tinha um jeitão de macho, e então retribui seu beijo. Começei a pegar no seu pau por cima da cueca, e logo caí de boca:
- Isso vai viadinho, chupa o titio vai, chupa bem gostoso!
Eu continuei a chupar aquele cacete delicioso por mais algum tempo e ele pediu para que eu fosse até o armário dele e pegasse um gel lubrificante que tinha lá. Peguei e entreguei para ele. E ele logo disse:
- Fica de 4 agora, que é hoje que você vai sentir a vara do titio.
Fiquei de 4, e ele passou um pouco de lubrificante no meu cuzinho, que estava piscando louco por aquela vara, passou um pouco no seu mastro. Eu disse:
- Tio, vai doer não?
-Vai não, titio vai colocar com carinho!
Então empinei a bunda, como um sinal e ele logo entendeu. Colocou a cabeca do seu pau nem na minha entrada, e depois foi empurrando devagar. Quando do nada ele enfia tudo e dá um gemido alto. Foi uma mistura de dor com tesão e logo ele foi bombando e aquilo foi ficando muito bom.
- Tá gostando de levar vara do titio? Tá?
- Sim tio, vai mete mais! Eu dizia com uma voz ofegante.
Ele sentou e disse:
- Agora cavalga no cacete do titio.
Eu obedeci seu pedido, e comecei a cavalgar. Ele gemia muito. Logo ele disse:
- Quero gozar na sua boquinha de novo. chupa o titio, vai.
Ele tirou seu pau de dentro e de mim e eu começei a mamar, chupei suas bolas e ele urrava como um urso, era muito excitante. Quando suas pernas bambearam e ele gemeu mais alto ainda e o jato de porra veio logo em seguida, era muita mesmo. engoli tudo. Depois ele bateu uma punheta pra mim e eu gozei em suas mãos.
Ele me olhou e disse:
- Cuzinho mais gostoso que o titio já comeu.
- Nossa tio, assim eu fico envergonhado!
- Não precisa, isso vai se repetir várias vezes.
Fomos tomar banho e lá rolou mais um boquete. Depois fomos nos vestir e minha mãe e a madrinha chegaram. Comemos e no dia seguinte fomos em bora. E fui pensando no que havia acontecido. Depois aquele dia ele me fodeu mais duas veze, mas ele mudou para outro estado e quase não nos vemos mais.

Postar um comentário

Designed by OddThemes | Distributed by Gooyaabi Templates