Minha Loira foi arrombada por negros




Eu sou um cara tranquilo. Com 30 anos, gostava de exibir minha esposa; uma loira bunduda 125 cm de quadril, de cintura fina seios medios pra grandes 1,75 alt da mesma idade q eu. Era um jogo q estava cada dia mais perigoso já que adorava ver os machos ohando pro bundão dela. Flagrou um se punhetando, numa praia deserta, de olho no rabo da esposa. Viajaram para Mato Grosso, no "verão" do Araguaia. Lá, a mesma coisa. Biquini fio-dental na esposa e machos de pau duro. Um passeio surgiu numa chalana q alugaram para ver mais as belezas do rio. O dono era um mulato forte, alto, estilo pantaneiro, de bigode. Uns 52 anos. Levava o sobrinho, com 30 anos presumíveis, mais baixo mas um touro também. A viagem transcorria bem até chegarem num lugar lindo, com o por do sol no horizonte. Desligaram o motor e ficaram lá, na maior paz. Os homens estavam agitados já que ela estava usando um vestido todo colocado ao corpo, delineando todas as suas curvas. E salto alto... E eu notei mas não via perigo neles. Eram simplórios na visão dele. Quando o mulatão acionou acionou o botão do motor, cadê... 
do motor funcionar ? Foram lá na "casa de máquinas" , mexeram no bicho e nada...A noite caiu. Mosquitada surgiu, todos prá dentro da chalana e fechados. Uma saleta com sofás, espelho, um banheiro e pequenina cozinha, nada mais. Ficaram conversando. Não se entendiam. Ficaram calados. o homem mais novo não tirava os olhos dela...o dono, também...O me vi numa enrascada. Era metido a forte, careca mas enfrentar dois caras e no pantanal...."Sou paulistano, meu", pensei. As horas foram passando. E nada. Resolvem voltar lá no motor, ficam mexendo nele de tudo que é jeito. Esperam outra chalana mas nada. Eles tentam se contactar com alguém e conseguem ! Chega, lá prás 11 horas da noite, uma canoa rápida, com 2 homens dentro. Sobem na chalana; são amigos. Mais 2 caras grandes, fortes, 2 negros ! Todos com mais de 50 anos. Olham prá mulher e...se viram pra mim e diz." Aí, amigo, sua mulher é gostosa demais ! Tamo afim de fazer uma festinha com ela mas gostaríamos q voce colaborasse aceitando a
esta oferta que lhe faço. 200 reais por cada macho que meter na tua mulher..."disse o negão de bigodes, forte mas barrigudo, pinta de zagueiro aposentado. Todos olharam para ele e ele olhou para a mulher q fazia uma pose incomum, com a mão na cintura violão, pezinho batendo, sorrizinho maroto. Era um sonho deles, fantasia q, com algumas, diferenças já praticaram no quarto. Ela mesma já tinha confidenciado para ele q gostaria, 1 vez na vida, de ser comida por vários machos. Dizia ela ser sonho de muitas mulheres. Aliás, todas já sonharam com isso uma vez. Mas ela queria cair na realidade ! Era a chance. " Decide amor, por mim, tudo bem !" disse ela. " Tá...mas eu quero fotografar ". Dito isso, ela, num espaço curto, retangular da chalana, desfilou pros machos. Foi até o negão e passou a mão no pinto dele ainda dentro das calça. Não durou 10 segundos e os outros 3 partiram prá cima dela. Nunca tinham visto mulher tão gostosa e tão cheirosa na vida. Verdadeiros animais ! O mulatão, entrando, na frente.. 
do negão e folhando para ela, olho no olho, sorriu, com um dentre de ouro, abaixou-se. Ela viu o negão novamente sorrindo também...Nisso, sentiu duas mãos poderosas, no braço e nas costas do lado direito e a memsa coisa do lado esquerdo. Eram os outros 2 machos. O sobrinho do mulatão e o capataz do negão. Suspenderam-a no ar, segruram e levaram até a mesa do barco. Botaram-na deitada lá. Ela olhou pelas pernas já abertas, o negão vinha já com uma pau gisgantesco, cabeçorra vermelha na ponta, em direção a ela ! Botou a saia dela prá cima, calcinha pro lado e, sem cerimonia alguma, foi entrando com a vara grossa e cabeçuda...ela sentiu que era grande o negócio mas aquentou. Nisso, um mulatão, que estava ao lado, empurrou o sobrinho chegando até o rosto dela..."Mama, vaca !" disse. Um caralho enorme surgiu ao lado da boca dela. Segurando a cabeça dela foi aprximando-a para a rola. Ela fez que não, teatrinho, mas abriu o bocão e mamava com difuldade o pintão. O sobrinho punhetava passando amõa nos seios
seios dela. O capataz só olhava...Era um cara muito forte. Grande mesmo ! Diria uns" 2 metros" de homem. Era assustador. Cara de mau, feio, abrutalhado !" Joca, tu qué a tua parte, né ? Voce terá no final. É um show ver o que tu fazes ! Então, hoje será só teu ! O corno, prepara a máquina fotografica ! " gritou o negão pro marido, tirando o pau da buceta da mulher para que o sobrinho penetrasse a esposa dele. Ele fotografava tudo ! Ela sorria e gemia, pedia pau ! Começou a mamar o negão. O capataz só olhava...O mulato jovem, o sobrinho, saiu dando lugar ao tio. O cara não aguentou...esporrou muito, muito mesmo, sobre a barriga e entre os seios dela, indo parar no rosto dela ! Porra farta ! Melou o vestido dela todo...Ela parou de mamar viu aquilo, deu tesão ! Com o mulatão dentro, gozou no pau do cara..."Gozou, né, safada...Vou dar prá voce beber leitinho..." Nisso, tirou o caralho e foi até ela. O negão assumiu a buceta de novo. Chegando perto do rosto dela, punhetando, mandou ela mamar. Ela não só fez
como passou a puhetá-lo fortemente. O mulato não aguentou e, quando ela estava de boca aberta para receber o jato de porra ele acabou vindo bem concentrado, no rosto dela...branco e leitoso...Ela sentiu e passou a mamá-lo...engolindo o esperma dele. O negão vendo isso mando porra na buceta dela...Muita porra também...pulsava na buça apertada. Ela gozou pela segunda vez...gritava de tesão..." Segurem ela, porra ! Essa é puta das boas...virem ela de bruços..." Joca, tá preparado ? É a tua vez... Eles a viraram, com o negão levantando mais uma vez o vestido colado verde aé a cintura; baixou a calcinha até as panturrinhas lindas... ela esperava algo... com a o bralo apoiado na mesa e mão apoiandoo o queixo. "Quero mais !" Disse sorrindo, olhando para todos, desafiadora. O maridão só fotografava. O capataz então se mostrou ! Todos, tirando
o chefe, não sabiam do "potencial" do homem. Quando ele botou prá fora da calça , com muita dificuldade, um tronco de 27 cms de comprimento ! " Não, isso não existe "! Pensou o corno, fotografando a "coisa. "Só em filme de sacanagem se vê algo assim ! Aquele negão americano...Steele...e eu não acreditava que existisse!" Falou, chamando a atenção da esposa. Ela olhou pro caralhão e se assustou : " Peraí ! Esse é grande demais ! Eu até mamo essa coisa enorme aí mas na bocetinha tem q ir com cuidado...." disse. " Aí, dona ! Ele não quer a bucetinha, não...ele quer o teu rabão..." disse o negão, sorrindo sadicamente. " Ahhhh, não ! Isso aí vai me arrrombar toda ! Deve doer pacas ! Eu sou corajosa mas prá aguentar isso aí..." " Gata..." disse o corninho," se eles aumentarem o valor prá comer o teu rabo, cê dá pro sujeito aí ?"" Mas tem q ser muito...Porra, olha o tamanho disso aí ! E tem que ser com muito jetinho...." respondeu ao marido já interessada a esposa puta." Tá certo, eu dou pelo rabo...3000 reais...
totalizando...6+3...9000 reais " disse o chefe mostrando o dinheiro que estava numa maleta que trouxe a bordo ! Ela, vendo a grana, feito uma gata, virou-se de novo, apoiou-se na mesa e empinou a bunda..." Olha, vai devagar, hein ? Não é curra...eu quero sentir prazer também.." falou olhando pro negro de 2 metros de altura. O clima era de suspense. Todos queriam ver a trepada. Um rabo grande, GG, contra uma pica enorme e grossa ! O maridão ficou próximo pois precisava fotografar..e ela assim pediu para poder depois se vanglorizar do feito. " Eu não quero que duvidem de mim no futuro " ! Estranho mas cada louco com a sua loucura. Do outro lado ficaram o Negão Chefe, bolinando o caralho, e o Mulatão, dono da chalana, idem. O sobrinho, de pau duro novamente, uns 21 cms, de frente para a dona já que a mesa não era tão comprida assim e se dividia ao meio podendo então aproximar-se do rosto dela. O Gigante, abriu o rabo com a própria pica, bezuntada de azeite q ele colocou antes na mini cozinha do barco 
A Glande encostou no cuzinho e fez pressão. Ela sentiu mas consentiu, segurando o caralhão impedindo-o de entrar rasgando..."Cavalo, vai devagar..." disse a loira. Todos olhavam a cena ! Um tronco enorme, duro feito aço entrando dentro de uma bunda apetitosa, queimada de praia, piscina, rio e com uma marquinha minima, no alto, denunciando o biquini fio dental q usava. O negão era frio, tarado, nada falava. Sozinho, ela seria currada...mas continuou..fez mais força e o tronco entrou até a metado ! " Um pau normal já está dentro do seu cuzinho, dona. Falto mais caralho ainda, quer mais..." disse o mulatão. "Olha, deixa ele um pouco aí, depois esse garanhão continua." respondeu, tendo um alivio que soube aproveitar...Rebolou feito uma potranca no pauzão. O negão esperou mais uns minutos e mandou mais vara prá dentro daquela bunda. Só faltava uns 6 cms que o próprio rabo GG dificultava entrar mas se deu um jeito. O corninho abriu o rabo prá facilitar. Para fotografaR, o mulatão foi lá e ajudou... Tudo dentro !
O negão, vendo todos se punhetando, ninguém se aguentou...começou a foder...ela sentiu as estocadas...sentia dor...Tentou se desvinciliar mas não deu...O gigante comia devagar...ia e voltava com a biela e pistão de um motor de navio...Cadenciado...mesmo assim são 27cms no rabo, sem contrar a grossura...O Chefe derramou mais azeite pra lubrificar o instrumento...Ela começou a se acostumar...Era uma imagem incrível ! Ela, de bicos duros...levando no rabo lindo e grande..O mulatão não aguentou e se coloocou por de baixo dela, enfiou a pica na buça dela..sentindo o caralhão do outro entrando e saindo do rabo não aquentou muito e gozou...O sobrinho, mais uma vez, mandou ela mamar..Ve-la de frente com um cara a enrabá-la fez esporrar na boca da esposa do corno mais uma vez. O chefe, na realidade um pecuarista da area, molhou o torso moreno dela com mais porra. O negão queria gozar...Parou e esporrou no rabo dela o q parecia ser litros e litros de esperma já que pulsava sem parar ! Ela, sentindo a potencia, teve
um orgasmo multiplo...quase desmaiou...Recuperando as forças, ficou deitaa prostrada sobre a mesinha...Nisso o negão tirou o pinto meio mole do rabo dela...escorria porra o cuzinho arrombado. Ela se recompõs, lavou o rosto, tomou uma cerveja. Todos conversavam..O corninho beijou-a, de tanta felicidade estava. Os boiadeiros riram, acharam graça dele mas foram corretos. Deram a grana mas tinham ganhado muito mais...em dinheiro e safadeza ! Disseram ser comum aquilo por lá. Maridos cornos com suas mulheres putas...Bom, a noite não terminou ali. Teve mais umas trepadas..Ela quis os galopar os 27cms e foderam um pouqinho mais. O corninho também. A coisa só terminou com primeiros raios de sol surgindo...O barco voltou a funcionar do nada. Tá...malandragem de caboclo. Nós prometemos voltar.

Postar um comentário

Designed by OddThemes | Distributed by Gooyaabi Templates