Seduzindo a cunhadinha




Oi pessoal, sou nova por aqui, mas vou me esforçar no meu primeiro conto.
Sou a Talita (fictício), 1,74, tenho 26 anos, cabelo preto, olhos castanhos, posso dizer que tenho um corpo sarado, pois vou à academia assiduamente.
Bom isso aconteceu comigo a alguns meses atrás, eu namoro a dois anos com o Pedro(fictício) e ele tem uma irmã chamada Patrícia de 20 aninhos, loira, e com o corpaço, seios médios, bunda bem durinha, barriguinha seca, enfim uma menina que chama a atenção dos homens e havia despertado algo muito forte em mim também, me deixava parada no tempo vendo todo aquele corpinho, que parecia ter sido feito a mão, eu nunca tido relação com alguma menina, mas ela me proporcionava um desejo avassalador.
Ela morava com a minha sogra em outra cidade, vinha apenas nos fins de semana para casa do Pedro. Então quando o Pedro me contou que a minha cunhadinha estava chegando, ai mais que depressa pensei “essa é a minha chance!”.
A noite quando cheguei na casa do Pedro quem estava lá, a minha cunhadinha maravilhosa, com um shortinho curtinho, mostrando aquelas pernas grossas, com uma blusa tomara que caia, e bem que eu queria que caísse. Rsrs.
Fui logo abraçando e dando beijinhos na bochecha de Paty, dando as boas vindas. Quando a abracei senti algo diferente que nunca tinha sentido antes, não sei o que houve, mas senti seus seios bem durinhos ao tocar meu corpo, achei que fosse impressão, mas quando olhei em seu braço dava pra notar que ela também estava arrepiada. Aproveitei pra sentir o perfume do seu corpo, e que cheiro gostoso que ela tinha.
Pedro havia pedido umas pizzas e umas bebidas pra jantarmos e ao chegar fomos pra sala, enquanto assistíamos TV. Sentei num sofá e Paty sentou no outro, e eu não tirava os olhos dela, não conseguia resistir, em um certo momento nossos olhares acabou se cruzando, nossa, perceber que a minha cunhadinha também me olhava, era algo maravilhoso de sentir.
Pedro cansado do trabalho acabou pegando no sono, “Melhor ainda!” pensei. Com ele no meu colo ficava mais fácil pra Paty notar as minhas intenções. Passei a puxar assunto.
- Oh Paty, o que você tem está tão quietinha?
- Não é nada Talita, sou estou um pouco cansada da viagem.
Conversamos bastante até chegar em relacionamentos, sexo, coisas intimas. E ela acabou me contando que estava numa fase bastante diferente que achava que ninguém aprovaria. Daí perguntei qual, e ela me contou que achava que gostava de mulher. Nossa ouvir aquilo na altura do campeonato foi algo satisfatório. Mas ela completou que não tinha coragem de fazê-lo. Uma vez que sua mãe dizia que essas coisas são erradas e tal. Então resolvi apostar todas as minhas fichas e atacar.
- Paty, vem comigo aqui na cozinha pra gente conversar, seu irmão não pode ouvir.
Chegamos à cozinha e ela com uma cara de preocupada, então falei:
- Paty, você confia em mim né?
- Confio!
- O que você está sentindo, não pode ser ignorado. Se tiver o desejo por mulher, não pode simplesmente fugir e sim, ir em frente e se entregar, entende?
E ela falou: - entendo Talita, mas eu fico com medo da rejeição das pessoas, e nem conheço nenhuma mulher que gostaria de ficar comigo?!
A essa altura a minha xaninha já estava ensopada, os bicos dos meus seios já estavam muito duros, eu queria mais era agarrá-la, mas não podia, não queria assustá-la. Então eu disse com suavidade e pegando em suas mãos.
- Paty não liga para o que os outros vão falar, já que você está com medo vá aos poucos, namorando escondidinho que até mais gostoso né. (Ela sorriu, já melhorando a carinha que estava). E sobre a questão que não existe nenhuma mulher que queira ficar com você, não é verdade.
Ela me olhou bem nos meus olhos apertou minha mão mais forte e disse: - Você conhece alguém é cunhada?
E ficou esperando a minha resposta.
Então lhe abracei, sentindo seu corpo quente, fervendo, seus seios estavam bem duros, percebi que ela também estava excitada, e no seu ouvido sussurrando falei: - Paty, eu quero ser sua! Quero ser a mulher que te dará o prazer que você tanto procura!
Nesse momento eu estava quase gozando de tanto prazer que eu sentia em poder dizer aquilo, mas ao mesmo tempo ficava com medo que ela dissesse não, então esperei alguns segundos até ela se afastar do meu corpo um pouco, olhar em meus olhos e em seguida se aproximar com tanta rapidez, que quando menos esperei já estava em seus braços novamente, beijando aquela boquinha macia e doce. Num beijo indescritível, ao qual me deixava cada vez mais ensopada.
A cada toque, beijo, carinho, tudo muito gostoso. Nos empolgamos cada vez mais e já estávamos nos amassando na mesa da cozinha. Em um certo momento derrubei um talher, com o barulho que fez, fiquei com medo que meu marido nos pegasse ali, então sugeri que fossemos para o quarto que ela iria dormir.
Mal entramos no quarto, ela já foi tirando a roupa e mostrando aquele corpinho maravilhoso de que tanto eu desejava. Ai que delícia, só de lembrar fico toda molhadinha. Tirei minha roupa bem rápido indo ao seu encontro.
Nos beijamos fervorosamente deitadas na cama. Então sem esperar ela que estava por cima foi me dando beijos por todo o corpo e descendo, chupou um dos meus seios me deixando louca de tesão. E foi descendo, beijando a barriga até chegar à minha bucetinha que estava escorrendo de tanto tesão.
Minha cunhadinha me chupou gostoso, ai que delícia! Como foi maravilhoso sentir aquela língua quente e macia. Não agüentei e gozei muito na boca dela.
Então sem dar descanso, era a minha vez de fazê-la gozar, então fiz o mesmo chupando o corpo maravilhoso de Paty, que gemia feito louca, se esperneava de tanto prazer. Passei a chupar a bucetinha da minha cunhada que tinha um gosto maravilhoso, uma delicia, só de lembrar chega dá água na boca. Então chupei muito e introduzir um dedo no seu cuzinho. E Paty gemia muito pedindo que eu lhe comesse mais e mais, e enfiasse cada vez mais. Então de tanto gemer Paty não agüentou o tesão que estava sentindo e gozou gostoso na minha boca, onde tratei de chupar cada gota daquele gozo.
Descansamos e fomos pro banho em seguida, não demorou cinco minutos e escutei o meu namorado me chamando. Ufa, foi por pouco.
Pedro não soube de nada.
Em pensar que pude ajudar a minha cunhadinha e ao mesmo tempo realizar o meu desejo.
Guardo esse momento com muito carinho.
PS: Ah propósito, no próximo fim de semana a Paty vem de novo pra cá, será que consigo seduzi-la novamente?
Bju pessoal, até a próxima!

Postar um comentário

Designed by OddThemes | Distributed by Gooyaabi Templates