DOIS + UMA ( 2- Casa do Alê)



Recapitulando e Comentando: Tive um pesadelo, sempre tenho sonhos terríveis como esse, era meu primeiro dia de cursinho, conheci o Alejandro, um menino branquinho (eu piro nos PARMALATs) e com um belo sorriso, como eu falei, o que me atrai nas pessoas é o SORRISO, pois para mim ele é a porta da alma, essa conversa parece de dentista, eu me esbarrei nele, derrubando os papeis no chão, parei quando ele foi à diretoria entregar os mesmos.
---
Dois + Uma
---
Quando o Alejandro voltou da diretoria, fomos direto para sala, estávamos atrasados, para nossa sorte, o professor estava entrando na sala, ele era um rapaz lindo, moreno, cabelos negros com alguns cachos, deveria ter 28 anos, tinha uma barba, eu adoro Twinks, mas homens maduros com esse tipo de barba me encanta (http://im.r7.com/record/files/2C95/948F/3A9E/96D7/013A/9F6C/02B5/1292/Thyago-Gesta-(1).jpg). Depois de algum minutos, descobrir que ele iria nos ensinar matemática, odeio cálculos enorme, poderia só ser as quartos operações e equação do primeiro grau. Durante a aula, Alejandro viu minha cara de confuso e perguntou:
- Não está entendo nada, né?
Eu: - Não, odeio matemática, odeio mais ainda trigonometria, nunca fui bem em geometria.
Ele: - Passa lá em casa mais tarde, jogarmos videogame e depois eu te ensino isso.
Eu: - Ok, passo lá mais tarde. Penso comigo mesmo: - Ele quer algo mais, ele pode tirar o cavalinho da chuva, que não vai rolar nadinha.
Acabou a aula do professor Sérgio, o nome do chato do professor de matemática, e logo em seguida, seria de Biologia, outra matéria que eu não curto muito, era uma professora, quando ela entrou todos babaram, ela se apresentou, Luíza, 24 anos, ela terminou a faculdade há pouco tempo, ou seja, era novata e seríamos a primeira turma, super legal ela, um pouco doidinha, eu ria e aprendia. O dia correu normalmente, me despedir do Alejandro, onde ele colocou um bilhete na minha calça e fui para casa.
Chegando lá, vou direto por quarto, jogo a roupa em cima da cama e entro no banheiro, quando sair, vi minha mãe pegando a roupa, dei um grito, peguei disfarçadamente o bilhete e dei a ela as roupas. Estava escrito:
"Uriel, te espero na minha casa, aqui está o endereço e meu número"
As evidências, começaram a surgir ele queria mais que jogar e me ensinar. Quando deu 17 horas, fui para casa dele, era uns 20 minutos da minha, a casa era bem bonito, um lindo jardim, com gramado, flores e um pé de coqueiro, a residência era vermelha, toquei a campainha, ele logo atendeu, estava sem camisa, outra evidência, ela tinha um corpo definido, ele não era musculoso, era um magro definido, me convidou para entrar, fiquei em pé, por alguns minutos, até quando ele disse:
- Ah, sente-se.
Eu sentei uma poltrona preta, ele perguntou se eu estava com calor, eu disse que não, ele colocou o PS3, o jogo era futebol, eu torço por Vitória, mas não curto muito futebol, estava perdendo mesmo, eu sugerir para ele. me ensinar o assunto, ele me convidou por quarto, lá estava o computador, eu estava a sua frente, ele passou uma mão boba na minha bunda, eu gostei, mas me afastei, queria provocá-lo, mas tinha que me valorizar; "só pode olhar, mas não pode tocar", seguir com esse dilema.
Alejandro mandou eu sentar na cadeira do computador, ele abriu o youtube, sempre colocando o corpo dele perto do meu, sentir que o "JR" dele, estava animadinho, se é que vocês me entendem, eu logo coloquei meu corpo pra frente. Minutos depois, ele foi além, passou a alisar minhas coxas, estava começando a ficar excitado, eu o olhava, ele sorria com aquele sorriso safado. Olhei por relógio, eram 19 horas, então, disse:
- Alê, já vou, deu minha hora.
Ele: - Fica mais um pouco.
Eu: - Não dar.
Ele aproximou perto de mim, meu lábios tocou nos deles, nos beijamos, eu empurro ele.
Eu: - Ficou doido? Mal te conheço, e eu não curto.
Ele: - Curte sim, eu vi que tu ficou excitado, quando eu alisei suas coxas. "Droga"
Eu: - Curto sim, sou bi, mas está cedo.
Ele: - Também sou.
Eu: - Vou embora, não sou desses para ficar um dia.
Ele: - Deixo você ir com uma condição, vamos numa praia nudista amanhã?
Eu: - Amanhã tem cursinho.
Ele: - Amanhã é sábado.
Eu: - "Droga", fechado, eu vou contigo.
Fui para casa, pensando que o Alejandro, que ver mesmo meu corpo nu. Eu aceitei, por queria provocá-lo e provocarei.
Continua.
Espero que gostem!
Bye,
Beijos do Tee

Postar um comentário

Designed by OddThemes | Distributed by Gooyaabi Templates