Amanda!



Eu sempre tive uma tara por ninfetas já havia chifrado minha mulher com muita menininha, quanto mais novinha e safada, mais eu me empolgava! Foi assim que conheci a Amandinha, amiguinha do meu filho,17 aninhos de pura perdição. O biquini quase invisível era capaz de fazer qualquer homem perder a cabeça, modelava cada cm de seu corpo, e deixava alguns pelinhos dourados a mostra como forma de enfeitiçar os incautos. Amanda não fazia tipinho de santa, estava escrito na carinha de safada que ela buscava um cara mais velho pra lhe dar uma boa vida e pra ser sincero a putinha merecia.
Não precisei me esforçar muito para conseguir um cartão verde com a gatinha. Era do tipo atrevidinha e isso me excitava ainda mais. Passei-lhe meu cartão e para minha surpresa no dia seguinte lá estava Amandinha no escritório, não precisamos de meias palavras, a ninfeta sabia bem o que fazer, trancou a porta tirou a roupa e eu quase enfartei...a bucetinha dourada contrastava com a pele bronzeada, os peitos pareciam duas setas durinhas apontando para o alvo e a bunda ... redondinha empinada com uma marquinha de biquini que podia ser comparada a uma linha bem fina...meu pau latejava e doía de tesão. No auge dos meus quarenta anos bem vividos jamais havia visto uma ninfetinha tão gostosa... sentada no sofá ela abriu aquelas pernas e pude ver o rosado da sua buceta , mal deu tempo de meter a camisinha ... a buceta quente engoliu meu pau com uma vontade...dei duas estocadas para ver a carinha de safada , ela não queria aquele papai e mamãe mais que ultrapassado. Me deitou no tapete e veio montar... parecia uma peoa em rodeio, rebolava,subia, descia, não aguentei e gozei ...ela tirou a camisinha e lambeu meu pau melecado iniciando um boquete divino, eu podia jurar ver anjos anunciando minha entrada no inferno por estar trepando com uma diaba.
Amanda queria mais, gulosa ficou de quatro oferecendo o buraco rosado, esqueci até de encapar a pistola, a piranha me fazia gemer alto e não demorei muito a encharcar aquele buraco da perdição de porra.
De todas as ninfetinhas que eu traçara aquela era a mais vagabunda, endiabrada me fez come-la em cima de um processo na mesa...por mais de duas horas ela pediu pica .
Depois de muita safadeza ele finalmente me deixou voltar a realidade. E claro que aquela seria a primeira de muitas. Amanda queria muito mais e eu lhe dava sempre mais.
Amanda quase todos os dias passava no fim de tarde eu sempre arrumava uma desculpa para chegar em casa mais tarde, as trepadas dela não tinham limites, era na minha sala, no elevador, no carro e até mesmo na minha casa durante um churrasco com a minha família. Apesar dela ser uma delicia, minha tara continuava nas ninfetinhas e eu queria novidades... eu não lhe daria a vida boa,queria come-la todas as horas e só. Não demorou muito e ela me trocou por um Juiz que escandalizou a todos por largar mulher e filhos para ficar com uma garotinha de 18 anos. ainda hoje quando trepo com uma garota lembro de Amanda,solta,depravada,puta...e meu leite termina homenageando a diaba que quase me fez perder a cabeça.

Postar um comentário

Designed by OddThemes | Distributed by Gooyaabi Templates