Amor e odio



Boa tarde,
Chamo-me Melissa mais todos me chamam de Mel, sou branca, cabelos negros, olhos azuis 1,60 de altura e 60k, sempre fui muito extrovertida e sempre fui opiniosa, sai de casa com 17 anos para em uma universidade no Rio de Janeiro, a estória que vou contar aconteceu quando eu fiz 18 anos, eu faço faculdade de medicina e estava no 4º semestre, levava uma vida normal sem tempo para diversão e sem muito tempo para minha família, pois os estudos tomavam muito o meu tempo, eu nunca havia me apaixonado por ninguém, ficava com alguns rapazes no colégio e uns dois na faculdade nada de mas nunca ia adiante e eu imaginava que era por conta da minha dedicação aos estudos, nunca havia sentido aquele frio na barriga ou minhas pernas bambas, sendo assim nunca tinha me entregado a ninguém, porem esse fato não precisava ser revelado para minhas amigas de faculdade que viviam falando de suas tórridas noites de sexo sem compromisso.
Sempre fui a melhor da classe não seria por menos, me dedicava muito, os professores me adoravam e eu sempre tirava as melhores notas, era referencia no campos, porem no meio do quarto semestre no modulo de SISTEMA RESPIRATÓRIO na disciplina de anatomia tudo mudou, eu estava atrasada para a primeira aula corria uma pouco para chegar a universidade, estava na entrada da universidade quando uma maluca quase me atropela, parando o carro bem na minha frente fazendo com que eu caísse no chão, com o susto me desequilibre torci o tornozelo e cai de bumbum no chão, meu tornozelo queimava e minha cabeça rodava tamanho o susto, quando vi ela sair do carro, ela tinha mais ou menos 1,70 de altura, loira e de olhos azuis escuros que colocavam os meus claros no chinelo e uma corpo esculpido a mão, ela se aproximou abaixou-se e me fitou com seus olhos que pareciam que iriam me engolir, olhos que tinham um mistério, algo que me fez ficar perplexa e totalmente alheia ao mundo ao redor, com uma das mão ela segurou meu rosto e abriu meu olho e com uma lanterna viu minha pupila quando em fim voltei a mim, afastei a mão dela do meu rosto, dizendo para ela não me tocar que eu estava bem, e que ela era uma irresponsável, ela sorriu e disse que estava fazendo medicina que só queria ter certeza que eu estava bem, eu não quis ouvi-la e fui me levantando quando coloquei o pé no chão quase vou ao chão novamente tamanha a dor, se não fosse ela que me segurou, eu teria caído de cara no chão, eu me afastei dela com uma certa violência, olhando nos seus olhos que pareciam um pedaço do céu de tão azul que era, ela me olhava com um olhar que parecia querer queimar meus ossos, ela sorriu e disse se você não teve-se se jogado na frente nada disso teria acontecido, eu a olhei com raiva nos olhos como assim me joguei na sua frente, foi você quem veio com tudo pra cima de mim sua louca, ela sorrindo ainda disse que eu deveria andar com mais atenção afinal deve-se olhar antes de atravessar a rua, eu não acreditava como ela conseguiu em tão pouco tempo fazer minha paciência ir em bora, coisa que ninguém conseguia pois sempre consegui dominar muito bem meus sentimentos, iria revidar o insulto mais não tinha tempo para perder com ela, tentei da um passo em vão, pois a dor me parou, ela com uma agilidade incrível se colocou debaixo do meu braço me enlaçando com seu braço minha cintura, eu a olhava com raiva e ela continuava rindo, ela disse que me levaria para enfermaria e para ver se lá tinha alguém que pode-se me dar calmantes, eu a empurrei com força me desequilibrando, ela tentou me segurar mais acabamos as duas no chão, ela esta sobre mim com uma mão embaixo da minha cabeça e a outra mão segurava o corpo dela para não pousar todo seu peso sobre mim, ela abriu os olhos e sorriu pra mim, eu não acreditava que ela ainda estava rindo mesmo depois da quilo, eu não conseguia respirar pois seu corpo em cima do meu pressionava o meu, como ela era quente e pesada, seus cabelos tinham um cheiro inebriante, ela tinha uma sorriso lindo que me deixava louca de raiva, eu em fim consegui dizer que não conseguia respirar, ela fez uma careta ao tirar a mão da minha cabeça, e levantou e estendeu a mão para me ajudar, eu já não aguentava mais, a única coisa que queria era que aquilo acaba-se e que a dor passa-se então dei a mão a ela que me ajudou a ir para a enfermaria, chegando lá a enfermeira me colocou em uma cadeira de rodas e me levou para o raio x, meu tornozelo doía muito, depois de alguns instantes eu estava na sala do Dr Henrique traumatologista da Universidade ele era um senhor distinto de cabelos grisalhos que eu queria muito que fosse meu mentor pois queria seguir carreira na traumatologia, logo a enfermeira chegou com o raio x, ele analisou e disse que estava apenas luchado que uma bota resolveria o problema, mais que deveria ficar uma semana sem colocar a perna no chão, me deu maletas para que eu pode-se me locomover, era difícil andar com o auxilio das maletas, quando estava para sair da enfermaria eu a vejo escorada na parede com o pulso enfaixado, ela veio ate mim, me olhou de cima a baixo e disse, que bom que você esta bem, eu disse que não graças a ela que estava querendo me matar de certa, ela sorriu e me mostrou o pulso, você ate que é pesada sabia, aquilo me deixou vermelha eu sentia meu rosto em chamas, não sabia se de vergonha ou de raiva, eu disse que ela deveria ter se machucado mais, sai com minhas maletas em direção a saída, eu poderia ir pra casa mais não queria perder aula, então fui pra sala, quando cheguei naquele estado, minhas amigas correrão em minha direção o professor parou aula e perguntou se eu estava bem e se havia anotado a placa do caminhão, então a imagem dela me veio a cabeça e meu rosto voltou a ficar vermelho de raiva, quando estava indo para meu lugar, o professor é chamado pelo reitor da universidade e pede licença e sai da sala, me deixando com tempo para contar o ocorrido as minhas amigas, logo ele volta e com ele pra minha surpresa quem estava com ele era justamente meu maior pesadelo ela, o professor logo começa a apresenta-la, essa aqui é a Fernanda ela vai se juntar a nossa turma, ela é a filha do grande Dr. Roberto Carvalho um dos maiores cardiologistas do pais, todos a olhavam com admiração e os meninos com gula pois ela era realmente linda demais, ela olhou nos meus olhos e sorriu debochadamente, me fazendo tremer de raiva, por que ela estava justamente na minha sala, por eu teria que atura-la, sou acordada dos meus pensamentos pela voz do professor que estava perguntando onde ela havia machucado o pulso, eu gelei nesse momento, ela sorrindo disse que havia se machucado ajudando uma mulher louca que havia se jogado no seu carro, eu ia gritar que era mentira que ela que havia jogado o carro em mim, mais minhas amigas me puxam delicadamente para que eu senta-se, o professor então indicou um lugar para ela sentar visto que a sala estava lotada, ela sentaria perto do Roberto, que era o mais cobiçado pelas meninas eu já havia ficado com ela, bem mais ate ai nada de mais a aula correu bem, no intervalo meu tornozelo doía muito e eu decidi que iria a farmácia comprar o medicamento que o Dr passou, quando minhas amigas pegaram minha receita e falaram que iriam compra que eu deveria descansar um pouco, eu fico sentada em um banco perto da sala, quando Fernando senta do meu lado, e me pergunta se pode ajudar em algo, eu digo que pode se afastando de mim, ela sorri e diz que é melhor mesmo ou eu iria me jogar em cima dela de novo, antes que eu pode-se responder ela sai andando em direção a cantina, me deixando com muita raiva, eu a fuzilaria se tivesse uma arma em mão, ou talvez não ela tinha um andar imponente e decidido, um bumbum perfeito, no que eu estava pensando, no bumbum dela, o que estava acontecendo essa mulher me tirava do serio completamente me desconcertava sua presença me incomodava, definitivamente eu já a odiava, logo ela esta envolta por quase todos da nossa sala, eu não conseguia ouvir sobre o que falavam mais todos estavam eufóricos por falar com ela.
Depois disso os dias foram passando calmamente não nos falávamos, meu tornozelo estava cada vez melhor o pulso dela de certo também estava pois ela já não usava mais a imobilização, ela se destacava em todas as matérias tinha um talento nato, ela logo se tornou o centro das atenções, ela era a melhor aluna da sala e todos a admiravam, Roberto vivia atrás dela, assim como todos os outros rapazes, ela com certeza havia nascido para brilhar, isso não me incomodava com tanto que ela manteve-se distancia de mim, dois meses depois do acidente eu já estava completamente recuperada e estava a todo vapor em meus estudos, o professor passou um trabalho em dupla e ele que escolheria as duplas, pra minha total infelicidade eu fui colocada com ela, que me olhou e começou a sorrir de maneira debochada como sempre, eu tentei argumentar com o professor mais foi inútil ele não me mudou de dupla, afastamos nossas cadeiras para ficar uma do lado da outra e começamos a fazer o trabalho, ela pesquisava na internet e escrevia algumas coisas, eu não queria fazer aquele trabalho não com ela, ela se vira e diz que se eu quiser ela poderia fazer sozinha já que o trabalho parecia ser muito difícil pra mim, meu sague ficou quente e começamos a discutir, eu disse que o trabalho não era difícil o difícil era ter que atura-la, ela disse que a reciproca era verdadeira, não notamos que estávamos aos berros, e quando notamos já era tarde o professor pergunta de forma efusiva o que estava acontecendo, nos olhamos e pedimos desculpa pelo ocorrido, eu queria sumir dali queria que ela não teve-se entrado na minha vida, como com poucas palavras ela conseguia me deixar assim furiosa e descontrolada, em fim a aula termina mais não o meu pesadelo não estava terminado pois teríamos que terminar o trabalho, ela disse que poderíamos fazer na casa dela, eu não me neguei pois não queria estender aquilo mais tempo ainda, ela me deu o endereço e combinamos o dia, na hora marcada eu estava no endereço que ela havia me dito, eu estava em frente a um luxuoso condomínio, o porteiro me pergunta os meus dados e com quem queria falar eu passei os dados dela, ele logo abra o enorme portão, tudo lá era lindo e luxuoso com uma piscina que era maior que meu apartamento eu estava admirada então eu a vejo olhando para mim, ela estava de short e uma camiseta branca e chinelos bem despojada, eu estava de calça e camisa o que me arrependi muito pois estava muito calor, logo subimos para seu apartamento que era um espetáculo a parte muito bem decorado e tudo muito bem arrumado, começamos a fazer o trabalho, sem nos falar muito a não ser coisas do trabalho, ela me oferece lanche, eu não aceitei por puro despeito por que na verdade estava com fome, ela sorriu e foi ate a cozinha voltando com sanduiche e suco, logo estávamos comendo estava delicioso, ela tinha boas mão para cozinhar apesar de ser um sanduiche, ela me olhava com aqueles olhos profundos e misteriosos, comeu um pouco e começou a cantarolar uma musica, ela ficou vermelha quando percebeu que estava cantarolando alto e não só na sua mente, nos olhamos e começamos a rir, e que sorriso ela tinha, não entendia por que ela mexia tanto comigo, por que me deixava tão furiosa, ela ate parecia ser legal, fui despertada dos meus pensamentos quando dei por mim havia derramado o copo de suco na minha blusa, levantei de um salto fiquei vermelha de vergonha, ela ria muito e eu fui ficando cada vez mais envergonhada, ela levanta e segura minha mão, o que faz meu corpo inteiro gelar, fico parada sem nem mesmo respirar, ela se aproxima e diz ao meu ouvido que me emprestaria uma blusa com tanto que eu começa-se a respirar novamente, então eu dou começo a respirar de forma descompassada quando vejo ela já estava a caminho de outro cômodo parando na porta e me chamando, você não vai vir, então estamos no quarto dela era lindo bem decorado com coisas modernas, e muito amplo, ela abre uma porta que iria dar no closet, ela volta com uma camiseta e um short, assim você vai ficar mais a vontade eu quis recusar mais ela foi mais rápida e colocou a roupa nas minhas mão me levando ate o banheiro de seu quarto, eu me troco e logo saiu do banheiro, ela estava parada na porta do quarto, eu havia tomado banho pois estava encharcada de suco, meus cabelos estava molhados e ela me olhava de uma forma que queimava minha pele, eu já não sabia de mais nada minha cabeça estava confusa meus sentimentos estavam em frangalhos eu queria chorar, queria correr, gritar e descobrir o que estava acontecendo comigo, ela se aproxima e pega o secador, vamos secar esse cabelo? Eu não respondo só balanço a cabeça positivamente, ela me faz sentar e começa a secar meus cabelos, fecho os olhos e fico inerte ouvindo o barulho do secador, pensando no dia que nos conhecemos, em como ela é linda e como ela era cheirosa, não sei quanto tempo fiquei ali pensando, quando dou por mim não estava mais ouvindo o secador, abro os olhos de imediato e vejo ela me fitando bem perto de mim, podia sentir seu hálito agradável, ela pois as mãos no meu rosto e foi se aproximando, eu já não via mais nada minha cabeça rodava meu corpo não respondia, então sinto seus lábios pousarem nos meus, eu não sabia o que pensar o que fazer só sentia seu seus lábios nos meus, minha respiração foi ficando pesada e minha boca se movia sozinha nossas línguas se encontraram nossos corações batiam no mesmo com paço minhas mão percorriam seu corpo sentia suas mão queimarem por onde passavam, mal conseguia respirar, ela parou de me beijar e ficou me olhando, então fui abrindo os olhos bem devagar, vi seus olhos cheios de desejo não pude conter as lagrimas e cai no choro, ela me abraça com força, eu tento me soltar dos seus braços em vão começo a soluçar, ela me abraça mais ainda e começa a beijar meu pescoço, eu nem mesmo sei por que estou chorando, quando sinto o toque dos seus lábios no meu pescoço sinto algo em mim queimar como brasa, ela então vai me beijando o rosto me beija a testa e por fim me beija os lábios já não sabia mais quem eu era, já não sabia onde estava ou em que planeta, eu estava beijando uma mulher e estava gostando, gostando não estava derretendo a cada beijo, ela vou me beijando mas intensamente cada vez era mais difícil respirar minha cabeça girava, eu sentia-me queimar por dentro, então ela tira minha blusa, beija meu colo desce um pouco mais, me olha nos olhos e tira meu sutiã, eu fico assustada faço menção que vou me afastar mais ela me pega pela cintura e abocanha meus seios, arrancando de mim um suspiro de prazer, ela suga meu seio como se precisa-se disso pra viver, nunca havia sentido algo tão intenso, lanço minha cabeça para traz e ela vai beijando minha barriga ate chegar no meu umbigo, ela começa a beija-lo a passar a língua em volta, já não dominava mais meu corpo, deixei ele cair sobre o chão ela montou em cima de mim, com umas das mãos segurou meu seio com a outra desceu ate meu sexo, que estava muito molhado, quando ela estava se aproximando do meu sexo tentei impedir que ela avança-se mais não tive forças, ela por fim o tocou causando ondas de prazer por todo meu corpo fechei os olhos e serrei meus dentes nunca em toda a minha vida imaginaria sentir tamanho prazer, ela me olha e sorri debochadamente o sorriso que tanto odiava agora me queimava ela beija minha boca com força, fazendo eu gemer te tesão, ela retira sua mão do meu sexo e começa a chupar seu dedo, confesso que isso me deixou louca de tesão ela me beija e posso sentir o meu gosto em seus lábios, ela me olha nos olhos respirando com dificuldade e desabotoa meu short, e o tira com tamanha facilidade que fico impressionada, junto com ele vai minha calcinha me deixando completamente exposta, ela vai me beijando o corpo, vai descendo ate chegar em minha virilha, ela começa a lambe-la e eu começo a delirar, ela beija e morde minhas pernas descendo mais não encostando no meu sexo, ela vai me torturado, eu penso que vou enlouquecer meu corpo se contorce todo sem que eu possa freia-lo por fim não aguento e tento colocar a mão na minha flor que já esta pegando fogo ela não deixa, para a minha mãe e me fita mordendo os lábios inferiores, eu estou a ponto de enlouquecer peço com voz rouca por favor, antes mesmo de terminar de falar ela beija minha flor com vontade passando a língua no meu critores , fazendo meus olhos se revirarem, ela chupa e lambe com vontade, eu sinto meu corpo ter convulsões involuntários meu Deus o que esta havendo, então sinto a coisa mais impressionante da minha vida um orgasmo que me faz ficar em êxtase total, todo meu corpo explode em prazer, sinto meu corpo mole não consigo me mexer, e me sinto tão relaxada tão sem forças, ela vai me beijando e subindo ate chegar em meus lábios, antes de me beijar a boca ela olha nos meus olhos sorri e diz que desde que me conheceu que estava com vontade de fazer amor comigo, e então me beija de forma doce e gentil, eu estava anestesiada sem pensar em nada só sentido aqueles sentimento desconhecidos pra mim, ela vai descendo sua mão ate chegar em minha vulva, quando toca meu critores sensível pelo orgasmo eu solto um gemido alto, ela coloca a pena dela entre as minhas, leva dois dedos a boca e começa a me penetrar o que me causa um pouco de dor, fazendo com que grite e jogue meu corpo para traz, ela encontra uma certa dificuldade em prosseguir, ela para e já estava tirando seus dedos quando eu a paro, ela me olha com os olhos cheios de agua e me pergunta se é minha primeira vez, eu confirmo num fio de voz, estamos ali paradas eu segurando ela para não parar, ela com um olhar que não consigo identificar, meus olhos se enchem de agua novamente, mais meus lábios estão sorrindo, ela se aproxima e me beija da forma mais doce que fui beijada, ela volta a enfiar os dedos em mim, continuando ainda com um pouco de dificuldade eu sinto minha vagina pegar fogo, sinto um pouco de dor ainda mais, porem um prazer inexplicável sobe meu corpo ela por fim enfia completamente os dedos em mim, ela para e me beija agora agressivamente, ela me olha seus dedos já estão em mim, meu corpo já esta se acostumando a eles, ela começa a tirar e botar de novo bem devagar, aos poucos ela vai aumentando a velocidade e com isso vai tirando minha respiração ela vai estocando com cada vez mais força, fazendo com que eu goza-se na sua mão, meu coração bate tão forte que sinto que vai sair do meu peito, meus ouvidos estão zumbindo minhas respiração super. rápida ela então deita sobre mim relaxando seu corpo sobre o meu, aos poucos minha respiração vai voltando ao normal, ela vai me beijando e me beijando, quando em fim consigo um pouco de discernimento eu olho nos olhos dela e pergunto o que isso significava, ela me beija de forma demorada e diz que fizemos amor, que queria fazer isso desde o primeiro momento que já não aguentava mais, que não suportava a forma como eu a tratava sempre, que isso a fazia sofrer que ela via nos meus olhos que eu a desejava, mais que a agredia com palavras, que ao me ter ali na sua casa não pode suporta e teve que me possuir, que se responsabilizava por ter sido a primeira, e que isso havia sido melhor que seus sonhos, que me queria, eu não conseguia acompanhar tudo que ela falava, ela estava nervosa falando muito rápido como se teve-se medo que eu nega-se algo, eu a beijei de forma eloquente como se minha vida dependesse daquele beijo, eu olhei em seus olhos e disse do fundo do meu coração não sei onde isso vai nos levar, porem eu não posso fugir disso.

Postar um comentário

Designed by OddThemes | Distributed by Gooyaabi Templates