Amor e odio parte 5





Boa tarde,
Primeiro desculpem a demora, bem vamos a continuação ok
Já era umas 4 horas da madrugada quando acordo, sinto o corpo de Fernanda grudado no meu, estávamos dormindo de conchinha, sentia o calor de seu corpo, sentia sua respiração bater em meu pescoço, fui me afastando lentamente para não acorda-la e fiquei fitando ela, como podia ser tão linda e tão delicada e ao mesmo tempo parecer tão forte e segura de si, acendo um abajur e olho seu rosto perfeito era um sonho vela assim, fito sua boca carnuda que estava entre aberta e não resisto vou me aproximando e sinto seu cheiro inebriante que me faz tremer, sinto sua respiração se unir a minha e aproximo meus lábios dos seus, sinto seus lábios macios e vou aprofundando o beijo, ela corresponde e vai intensificando o beijo me puxando para mais perto, quando dou por mim já estou em cima dela, paramos e me afasto um pouco para olha-la ela esta me olhando com seus lindos olhos azuis de um escuro tão profundo que parecem o oceano, ela sorrir e me pergunta se estou a me sentir bem, respondo apenas balançando a cabeça, ela me puxa para um beijo e que beijo, desliza suas mão pelo meu corpo e fica por cima de mim, tira minha camiseta e suga meu seio com vontade o engolindo e fazendo o ficar entumecido de imediato, suga meu seio como se precisa-se para sobreviver vai para o outro me arrancando suspiros de prazer vai me beijando descendo por meu corpo para em meu umbigo e o lambi me deixando sem chão, desce ate minha virilha me olha nos olhos e morde seu lábio inferior me fazendo engolir a seco, separa um pouco mais minhas pernas e vai tirando minha calcinha, vai beijando minhas coxas ate chegar em minha virilha, pula meu sexo pulsante e faz o mesmo com minha outra coxa, lambendo minha virilha, me olha com um olhar de desejo e passa sua língua em meu critores, me fazendo revirar os olhos tamanha a sensação que aquilo me provocou ainda me olhando ela começa a me lamber de forma que meu corpo já não respondia e agia por conta própria, meu corpo se erguia e se contorcia a cada lambida a cada chupada em meu critores completamente enrijecido, já respirava com dificuldade e os gemidos eram cada vez mais altos, peguei o travesseiro e coloquei ela em meu rosto na tentativa de abafar os gemidos que brotavam da minha garganta por conta própria sem que pudesse para-los, estava sentindo meu corpo estremecer quando sinto seus dedos entrando em mim ela penetra dois dedos em mim e começa a bomba lós, ela se ajeita e vai intensificando as investidas, sobe e me beija os lábios e começa a fazer movimentos de sobe e desce com seus dedos, me sinto estranha muito quente sinto um liquido sair de mim, sair é forma de dizer ele jorrava e logo depois sinto meu corpo todo estremecer sinto ondas de prazer percorrer todo meu corpo não consigo para de tremer meu corpo estava em êxtase completo, meu coração parecia que explodiria ali mesmo, quando volto a mim com a respiração muito alterada ainda, me encolo e cubro o rosto com as mão, ela vem me beijando e tentando tirar minhas mão do rosto eu estava chorando de tanta vergonha não sabia o que havia acontecido, estava mortalmente envergonhada e sem saber o que fazer,
Fernanda: O que aconteceu meu amor te machuquei?
Mel: Não de forma alguma, estava chorando muito agora, não sabia o que dizer,
Fernanda: O que aconteceu me diz, por favor, se não te machuquei por que esta chorando tanto.
Mel: A abraço com força me desculpa eu não sei o que aconteceu eu eu, não conseguia dizer que não sabia como explicar que nunca havia acontecido isso que eu nunca havia feito xixi assim,
Fernanda: O que aconteceu Mel, a olho nos olhos e ainda não parava de chorar, meu coração foi ficando apertado ao vela chorar dessa forma, a afasto um pouco e olho em seu rosto vermelho e em seus olhos cheios de lagrimas, por favor me diz o que esta acontecendo,
Mel: eu eu não queria ter feito xixi assim me desculpe, e volto a abraça-la sem querer a olhar nos olhos pois estava muito envergonhada, então Fernanda começa a rir bem alto o que me deixou com bastante raiva a empurro a fazendo se afastar e a olhos nos olhos com raiva nos meus olhos, obrigada por ficar rindo de mim assim.
Fernanda: Desculpe é que você fica linda com vergonha, então a abraço com força ela luta para se soltar de mim, eu a aperto contra meu corpo, e falo em seu ouvido, boba você não fez xixi você ejaculou, e fico a abraçando e beijando seu pescoço, quando me afasto ela esta me olhando com um olhar espantado,
Mel: como assim ejaculei?
É meu amor você ejaculou, isso acontece quando o critores é devidamente estimulado, algumas mulheres soltam um jato bem forte rsrsrsr,
Mel: Me sentia ainda mais envergonhada ainda, eu não sabia mesmo de nada da vida, era só uma mulher sem experiência alguma, que nunca havia tido uma ejaculação que nem sabia que isso era possível em mulheres, e que acabara de ter o maior e melhor orgasmo da vida, e que havia acabado de pagar o maior migo da vida, Fernando me olhava com os olhos cheios de ternura, eu estava vermelha e não precisava nem de espelho pra saber disso, me beijou com doçura, eu fui a profundando o beijo, a deitei na cama, queria retribuir o prazer que ela havia me proporcionado, tirei sua roupa e fui de cara lamber seu critores a fazendo gemer de imediato não conseguia me controlar queria a possuir queria sentir seu gosto, fui aprofundando minha língua, a lambendo mais forte e mais rápido, coloquei dois dedos dentro dela, como era bom sentir seu calor, como ela estava molhada e quente, comecei a socar com força num vai e vem alucinante sinto ela erguer seu corpo em direção a minha mão, ela gemia alto e pedia para não parar, penetrava meus dedos mais rápido ao mesmo tempo lábia seu critores enrijecido não demorou para ela gozar lambi todo seu liquido, como era gostoso sentir seu gosto sentir seu gozo, fui beijando seu corpo ate chegar em seus lábios, nos beijamos apaixonadamente e nos abraçamos felizes e exaustas, dormimos abraçadas, quando acordo já era quase 10 horas da manha, eu a procurei na cama mais não estava lá, a procurei no quarto amais também não estava, levantei e fui tomar banho, quando descia a escada a ouvi conversando com sua avó, sorrindo e falando alto, ela me olha descendo a escada e vai ao meu encontro e me beija na boca, fazendo meu corpo congelar e me fazendo ficar vermelha ao extremo, a empurro e olho para Henrietta que estava nos fitando e sorrindo,
Henrietta: não se preocupe minha jovem sei da orientação sexual de minha neta, não precisa ficar assim tão envergonhada,
Mesmo assim me sentia envergonhada, ela me puxa e me abraça e fala ao meu ouvido, não se preocupe não vou mais te beijar na frente de ninguém ao menos que você peça e me olha nos olhos e pisca para mim e me puxa, vamos tomar o café da manha por que quero te levar a um lugar, então vamos tomar café da manha e fico ansiosa por saber onde ela vai me levar agora.

Postar um comentário

Designed by OddThemes | Distributed by Gooyaabi Templates