Tesão de Ménage!



Quando namorávamos sempre gostávamos de transar dentro do meu carro e foi assim que tudo começou, tudo mesmo sendo que fui o primeiro em tudo com ela em relação a sexo só não fui seu primeiro beijo, porém fui o primeiro a chupar seus peitos, o primeiro a acariciar sua bucetinha o primeiro pau que ela pegou na mão, o primeiro pau que ela chupou, o primeiro e único (ao menos por enquanto) pau que entrou entre suas pernas e o primeiro e único a entrar no seu rabinho gostoso.
Lu é uma baixinha de 1 metro e 55 centímetros de Altura com 58 quilos bem distribuídos num belo corpinho com coxas grossas bunda avantajada, branquinha cabelos castanhos na altura dos ombros, enfim muito gostosa e brava.... Kkkk.
Teve criação no sítio e veio para cidade depois dos 12 anos com criação de família humilde, porém muito rígida com horário para estar em casa e dia para poder sair.
Bom minha história com ela começou quando ela tinha 17 anos onde a conheci e depois começamos a namorar.
E depois de certo tempo de namoro e de transas calorosas certo dia assisti a um filme no extinto cine prive da TV Band de nome "limites da sedução" e foi através desse filme que começou meu fetiche em ver minha Luzinha com outro homem.
Porém não tinha como eu falar pra ela do meu desejo devido à criação dela e que certamente me acharia maluco.
Certo dia durante uma de nossas loucuras dentro de meu carro Lu me fez uma bela chupeta em frente a casa dela e durante o ato passou um rapaz pela rua e não sei até hoje se ele viu alguma coisa, porém ela se assustou e foi a partir dai que começamos a conversar a respeito de fantasias sexuais, ela me disse que tinha vontade de transar numa escada, dentro d'água, etc, e eu então comecei a testar ela dizendo que gostaria de transar com gente olhando ou ser surpreendido por alguém essas coisas.
Não senti grande interesse da parte dela no meu assunto, mas ai sempre conversamos a respeito de fantasias e então um dia disse que tinha uma curiosidade em dividir uma mulher com outro cara, ela disse que isso era muito depravado pra ela e eu lógico respeitei sua opinião.
Um belo dia estávamos namorando em uma estrada de terra e então resolvemos transar no capô do carro e então deixei Lu peladinha e a noite estava clarinha devido a Lua o que dava pra ver tudo muito bem e então transamos durante um tempo do lado de fora do carro e quando percebi tinha um cara passando a pé ao nosso lado, nem deu tempo de reação e como estava clarinho tenho certeza que ele viu tudo.
A Lu ficou tão assustada que nem deu pra fazer nada, pois ela me abraçou e ficou olhando o cara passar.
O cara passou e seguiu seu caminho, pois com certeza era morador de algum sitio na região e enquanto a gente ficou ali se recompondo e eu rindo da situação e ela meio apavorada com medo do cara conhecer a gente, e eu acalmando ela, e foi aí que ela me revelou que ficou com medo de eu chamar o cara pra transar com ela.
Eu disse que nunca teria coragem de fazer uma coisa dessas com ela sem seu consentimento e então começamos a conversar a respeito do meu fetiche de novo e ela me disse que era muita depravação pra ela transar com outro e comigo e que tinha medo de ter que fazer uma dupla penetração e machucar ela, e eu disse que não era isso especificamente que eu queria e que se fosse apenas pra eu foder ela e ela só chupar outro cara já seria ideal pra mim e foi ai que me surpreendi com a resposta dela dizendo que se fosse assim até poderia ser.
Nossa meu pau endureceu na hora e então a peguei novamente dentro do carro e comecei a despi-la, chupei sua buceta ferozmente passamos para o banco de trás a coloquei de quatro e soquei meu pau com firmeza pra dentro dela que soltou um gemido alto e então comecei a estocá-la por trás num vai e vem e coloquei meu dedo em sua boca e ela passou a chupar e daí gozei como um cavalo dentro dela tanto era meu tesão.
Ela notou meu êxtase pelo ocorrido e então ela me perguntou se eu teria coragem mesmo de a deixar ela chupar outro cara e eu respondi que não era só por sexo e que ela não era qualquer uma e que eu queria realizar minha fantasia com ela e não com uma qualquer da rua.
Daí em diante nossas transas foram mais quentes e inclusive passei a fazer sexo anal com ela.
E então fiquei com aquilo na cabeça, será mesmo que vou realizar meu fetiche com ela?
Um dia durante uma de nossas conversas sobre vontades sexuais perguntei a ela se além de mim quem ela teria tesão e pra minha surpresa ela depois de relutar em falar se abriu e disse que seria um amigo nosso.
Mas eu não pude fazer nada a esse respeito, pois aqui a cidade é pequena e não poderia deixar fazer uma coisa assim com conhecidos.
Então pensei comigo, que um bom caminho já havia trafegado e que já estávamos na hora de testar o pudor dela, comprei um conjunto espartilho vermelho um sapato de salto e levei-a a minha casa um dia que meus pais estavam viajando e tirei fotos dela de todo jeito com a roupa e sem ela também tirei foto dela me chupando e transando comigo, guardei as fotos bem guardadas maquiei as que não fossem comprometedoras e parti pra net procurar alguém que se encaixasse em um perfil e que se contentasse em apenas ser chupado por minha gatinha enquanto eu a fodesse.
Conversei com muitos e confesso muitos caras mesmo e foi muito difícil encontrar alguém descente que preenchesse os requisitos.
A net esta cheia de gente que só quer saber de meter e não se preocupa com o outro lado e só pensa em si próprio,,,, pretendente achei milhões porem em duas conversas já perdia o encanto, pois muitos caras que se acham os maiores garanhões da net não sabem nem conversar direito, e não sei como pode ter gente que ainda saia com esses tipos de gente.
Mas vamos la um dia consegui o contato de um cara no bate papo UOL e após trocarmos e-mail despertou curiosidade em conhecê-lo melhor.
Pelo Skype conversamos certo tempo expliquei toda minha historia pra ele soubesse que teria que haver consentimento dela e que talvez ela não aceitasse de cara e que teria que ter paciência para não assustá-la de vez.
Um dia conversei com ela e expliquei o que havia feito e disse que já tinha achado a pessoa certa pelo menos no comportamento para realizar minha fantasia com ela. Ela ficou P... da vida em saber que mostrei fotos mesmo que sem rosto para o cara, porém senti que ela ficou curiosa em saber quem era.
À noite no horário marcado liguei pro cara e depois nos vimos pelo Skype onde ele a viu e ela viu ele e não despertou muito interesse pela aparência do cara que se chamava Claudio, mas Claudio ficou louco ao ver ela, fez vários elogios.
Conversamos um bom tempo e após desligar o PC Lu me disse que não tinha achado Claudio bonito, mas que realmente ele era muito legal.
Claudio é um cara branco meio calvo 1 metro e 70 de altura, magro, segurança de uma empresa de proteção de valores.
Conversei bastante com Lu a respeito do fato e então ela me disse que aceitaria, mas que ele tinha quer vir vestido como segurança.
Passei a condição a Claudio que logicamente aceitou e então marcamos a tão sonhada data, deslocamos a uma cidade a 100 quilômetros da nossa e Claudio viajou 300 quilômetros da dele e marcamos em uma lanchonete da cidade combinada.
Nos encontramos e Lu morrendo de vergonha e Claudio como sempre bem atencioso em nenhum momento se fez inconveniente.
Depois de nos conhecermos melhor fomos até uma pracinha onde conversamos mais ainda e ele como disse atendeu minhas expectativas, pois em nenhum momento fez comentários impróprios ou tentou acelerar as coisas sempre bem atencioso e nos deixando muito a vontade.
E então lá pela meia noite e meia resolvi acender a idéia de irmos pra um lugar mais tranqüilo, Lu ficou sem jeito me agarrou forte o braço onde percebi seu nervosismo, pois suas mãos estavam geladas, suando e tremulas.
Fomos andando em direção ao carro e fui sentindo o nervosismo da Lu, e então saí meio de lado com ela e disse:
_ vai?
Ela respondeu
_Aí não sei to com medo e com vergonha
Eu disse
_ Se quiser desistir não tem problemas, te amo assim mesmo e nada muda.
Ela disse
_Vou tentar, mas to com vergonha de tirar a roupa com você na frente dele.
Eu respondi,
_ Sem problemas, eu não faço nada, você só chupa ele se quiser.
Ela respondeu então tudo bem.
Saímos dali e seguimos ao carro Claudio foi no banco de trás e pairou aquele silencio de nervosismo no ar durante o percurso até o motel, Lu cada de vez mais nervosa, suas mãos suavam agarradas a minha e então escolhemos a suíte 11.
Chegamos a o quarto e me deitei na cama e então Lu sentou-se próxima a mim e Claudio sentou em uma cadeira, fomos então conversando e eu acariciando os braços da Lu e após algum tempo de lenga lenga a puxei para mim e comecei a beijá-la, pois meu pau já estava para explodir.
Desabotoei seu short e tentei enfiar a mão, porém ela não deixou e continuou me beijando, então a beijei com mais fogo ainda tirei meu pau pra fora e levei sua mão até ele.
Chamei Claudio para aproximar-se e ele sentou-se ao lado de Lu e então colocou a mão no ombro dela e ela ficou de frente pra mim e de costas pra ele que começou a fazer uma massagem nela e foi deslizando suas mãos em seus ombros e pescoço até que conseguiu acariciar seus peitos por traz.
Quase gozei em ver a situação fui puxando o short dela e a deixando só de calcinha e deitamos ela na cama, fui acariciando o corpo tremulo dela e tirando a calcinha de lado dando lambidinhas em sua buceta enquanto Claudio já com o pau pra fora acariciava os peitos dela e ela segurava seu pau.
Eu estava louco de tesão já não aguentava mais aquela situação e pensei em foder ela só que eu sabia que se fizesse isso eu não ia aguentar e iria gozar logo e fiquei com medo de bater o arrependimento e então continuei a chupá-la com vontade e quando olhei pra cima vi Claudio aproximando seu pau do rosto da Lu e então vi quando ela abriu a boquinha e começou a chupar o pau dele.
Fui às nuvens e voltei, minha fantasia estava realizada, e agora? Como continuar
Eu estava anestesiado de tesão vendo minha baixinha abocanhar o cacete daquele cara, logo fui com meu cacete até a boca dela também e a coloquei a me chupar também, ela com os olhinhos fechados uma mão segurando meu pau e a outra segurando o pau do Cláudio, hora chupava o meu hora o dele foi ai então que deixei os dois ali e sentei na cadeira de frente pra eles e Cláudio entrelaçou sua mão nos cabelos de Lu, e estocava firmemente sua rola na sua boca no movimento de entra e sai fazendo-a babar, ele extasiado dizia o quanto estava bom o boquete e como ela chupava gostoso.
Eu me masturbando olhando a cena Cláudio em pé sobre a cama em sua frente e Lu de joelhos abocanhando seu pau naquela visão de submissão pura por parte dela engolindo a pica até onde conseguia arrancando urros de prazer daquele homem que continuava a elogiar aquele boquete e de repente vejo a respiração se Cláudio aumentar e anunciou seu gozo que encheu a boquinha de minha amada de porra que cuspiu tudo pra fora limpando o que restou do leite no lençol.
Cláudio extasiado sentou-se na cama enquanto Lu foi ao banheiro e eu fui atrás e enquanto ela lavava sua boca na pia a agarrei por trás coloquei-a de quatro sobre a beira da banheira e a estoquei com força na buceta dando-lhe bombadas fundas agarrado em sua cintura até que enchi sua gruta com meu gozo.
Quando olhamos para trás vimos Cláudio se masturbando e pedindo para entrar na festa,, eu já esfalecido pela recente gozada disse a ele pra ir em frente e ele quis se posicionar atrás de Lu, porém ela se levantou retrucou que não queria fazer com ele assim e que se quisesse ela chupava ele de novo, mas trepar só comigo.
Fiquei orgulhoso pela resposta e neste momento Cláudio foi mais ríspido com seu linguajar dizendo:
_Então mama logo aqui na minha rola sua piranha, quero que engula tudo agora.
Lu olhou pra mim e eu fiz um sinal de você quem sabe e ele já a pegou pelo braço e a posicionou sentada no vaso do banheiro enrolou todo o cabelo dela novamente nas mãos e disse pra ela abrir bem a boca.
Cláudio enfiou a rola até onde deu fazendo Lu engasgar retirou o pau pra fora e com voracidade enfiou de novo quase a fazendo vomitar, ela então disse pra ter calma, mas ele batia o pau na sua cara e dizia.
Abre bem a boca e quando o meu pau estiver entrando você coloca a língua pra fora que o pau vai la na sua garganta, vou gozar la dentro já que não me deixa comer você sua puta.
Lu meio assustada (vi em sua expressão) recolocou o pau na boca e engoliu até onde conseguiu e desta vez Cláudio a segurou na nuca alguns segundos a fazendo perder o fôlego.
Voltei a ficar excitado com a situação Cláudio olhava a buceta de Lu como um animal olhando a carne fresca e tentava colocar sua mão, seus dedos, mas sempre era impedido por ela.
Cláudio ficou um tempo naquela situação, e não gozou a deixando sentada no banheiro e ela foi tomar banho no chuveiro, enquanto isso Cláudio me dizia que respeitava a nossa posição, mas que se pudesse queria trepar com ela pois era impossível não desejar comer aquela baixinha.
Eu respondi que se ele quisesse poderia tentar mais uma vez no chuveiro porém se ela não quisesse eu não iria forçar.
Cláudio foi até o chuveiro com a jeba de pé, deixei os dois sozinhos pra ver no que dava, mas eu só ouvia a voz da Lu dizendo não e não.
Lu saiu do banho enrolada na toalha e foi até a cama onde eu estava e veio de quatro como uma felina olhando pra mim e foi até meu pau onde começou a chupá-lo.
Ao perceber a presença de Cláudio nos olhando, Lu que estava com o rabão virado pra ele parou de me chupar olhou pra ele com uma carinha de safada deu um sorrizinho maroto, lambeu meu pau ainda olhando pra ele e engoliu todo meu pau até a base.
Cláudio veio que nem um cachorrinho no cio posicionando atrás dela que parou de me chupar olhou novamente pra ele e deu uma reboladinha sacana a pouco mais de 10 centímetros do pau ereto dele que até eu achei que era a ordem pra ele fude-la sem dó, mas quando ele foi se ajeitar pra enterrar ela fugiu pra frente deixando ele babando de novo, que a chamou de safada e sacana.
Ela com carinha de safada apontando o dedo na boca disse a ele.
-você é só aqui, ali é só meu marido.
Cláudio a puxou pelos cabelos tirando-a do meu colo levando novamente sua boca para o pau dele que sem resistência o abocanhou novamente levando ele ao delírio.
Lu chupava o pau de Cláudio e eu a fodia por trás e então senti quando ela se envergou pra trás e gozou no meu pau gemendo de excitação.
Cláudio a puxou novamente pra ele enfiou o pau na boca dela, tirou pra fora de novo e esguichou sua porra no rostinho dela.
Lu limpou e excesso na toalha e foi se levantando me puxando pela mão até o banheiro de novo onde ficou de quatro novamente na banheira e pediu.
-Me come gostoso.
Enfiei meu pau até o fundo daquela buceta molhadinha senti ela gozar mais duas vezes antes de encher sua gruta de novo.
Tomamos banho pagamos a conta e fomos até uma lanchonete e em seguida levamos Cláudio até um hotel onde ele iria ficar até o outro dia quando tomaria o ônibus de volta a sua cidade.
Nos despedimos em frente ao hotel e seguimos pra nossa cidade e nunca mais encontramos Cláudio pessoalmente apenas de vez enquando no Skype e ele sempre pede bis, mas acho que por enquanto estamos bem, e nossa vida sexual mudou 100%, fazemos sexo quase todos os dias agora e sempre com muito fogo.

Postar um comentário

Designed by OddThemes | Distributed by Gooyaabi Templates