Conto Gays: Primeira vez com um homem

Contos Eróticos - Flaralove


Primeira vez com um homem. Eu sou casado com uma mulher, tenho 34 anos mas de uns tempos pra cá percebi que gosto de transar com homens e tudo isso começou a uns 2 anos atrás quando tive minha primeira vez com um.

Sempre fui o comedor da mulherada, eu sempre fui vaidoso, desde os 18 anos frequento academia, modéstia a
parte sou um cara bonito e isso desperta muito o ciúmes de minha esposa. Quando a gente vai numa festa as mulheres em peso olham pra mim, só que ela nem imagina que meu negócio hoje em dia são homens.

Minha primeira vez com um cara foi muito louca, eu sempre fui meio preconceituoso, meio machão, sempre comentava que era horrível dois homens se beijando, mas naquela época acho que já era um desejo reprimido que nem eu mesmo sabia, mas isso mudou completamente quando fui para uma praia perto de onde eu moro bem no fim da tarde.

Eu adoro surfar e esse horário as ondas estavam boas, a praia tava praticamente vazia e eu podia ficar a vontade, surfava, fumava um baseado e ficava curtindo a natureza, mas volta e meia eu me encontrava com um cara chamado Bruno, que também ia surfar sozinho por ali, e nessa praia tinha uns bares abandonados que funcionaram a muito tempo por ali.

O Bruno fumava comigo nas vezes em que a gente se encontrava e a gente falava de mulher, de surf, de balada, das nossas mulheres, mas um dia conversa vai, conversa vem eu comentei que tava com vontade de mijar e fui no bar abandonado, que tinha um banheiro bem fodido mas eu fui mijar lá e ele me seguiu dizendo que também tava apertado, até aí nada de mais, só que quando entrei no banheiro ele veio mijar bem do meu lado e nessa hora dei uma olhada rápida e vi que o pau dele era grosso, cheio de veias e bem cabeçudo.

O pau dele era um pouco maior que o meu e hoje posso dizer que é uma pica bem bonita. A gente começou a conversar durante a mijada e de repente o papo tomou o caminho da putaria. Logo a gente tava comentando quantas punhetas a gente batia e como era a foda com nossas parceiras. Nesse momento notei como o Bruno era bonito, moreno de tanto pegar sol, cabelo escuro e liso num corte moderno e corpo levemente sarado, eu era até mais bombado que ele.

Quando terminei de mijar notei que depois do nosso papo ele ficou de pau duro. Quando guardou no short ainda tava aquele volume imenso marcando, parecia que ele tinha colocado uma banana na calça. Eu acabei ficando de pau duro também e não sei se a gente relaxou demais por ter fumado um, mas eu não fiquei incomodado, eu tava muito leve, tranquilão.

Ele pegou no meu pau e eu gostei

A gente sentou e retomamos o papo quando ele disse:
– Parece que você ficou animado né cara? que porra é essa? – E eu respondi que pensei em uma gostosa com aquela conversa e deu tesão, mas logo ele perguntou se podia me contar algo e quando eu disse que sim ele falou que já tinha tocado uma punheta pra um cara na “broderagem” e acabou curtindo, embora ele fosse doido por buceta.

Eu comentei na brincadeira que se ele quisesse poderia bater pra mim e pra minha surpresa ele nem demorou, já veio logo, passou a mão no meu caralho por cima da bermuda tactel e deixou mais duro ainda. Ele abriu o velcro e começou a punhetar minha rola. Eu senti muita vergonha mas tava com muito tesão, acho que por também ser homem ele tinha uma habilidade enorme pra masturbar meu cacete.

Eu ficava olhando se aparecia alguém enquanto curtia aquela mão amiga. Eu notei que ele também tava de pau duro e não sabia se teria coragem de ir mais longe do que aquilo, mas logo ele não aguentou ver o quanto meu pau tava babando e caiu de boca na minha pica. Caralho! eu fiquei muito louco, eu respirava forte, parecia que minha vara ia explodir na boca dele. O filho da puta chupava muito melhor que qualquer mulher que já comi.

Eu comecei a movimentar os quadris, empurrando meu pau na boca dele como se tivesse metendo mesmo e em momento nenhum o safado parava de engolir minha rola. Eu tava doido de tesão, tão relaxado que acabei perguntando se ele teria coragem de dar pra mim. Ele não respondeu nada, só parou de me chupar, levantou e veio me dar um beijo na boca, mas não curti muito, achei meio estranho no começo.

Ele sentou no meu colo, começou a roçar a bunda na minha vara e disse:
– Isso responde sua pergunta? – Eu tava doido pra comer o cu desse puto mas tava morrendo de medo de alguém ver, então chamei ele para o tal bar abandonado, entrei com ele, encostei a porta que nem fechava direito e mandei ele ficar de quatro e ele atendeu na hora como se fosse uma putinha submissa.

Quando baixei a bermuda dele sua bunda era bonita, branquinha, contrastando com o resto do seu corpo e seu cu tava todo lisinho. Nessa hora tive certeza que o safado já deu outras vezes para outros caras e tava pagando de comedor de buceta. Eu enchi o rabo dele de cuspe, ele ficou encostado de quatro em um balcão que tinha lá e encaixei meu pau aos poucos até entrar todinho até o talo no seu cu.

Foi uma sensação gostosa da porra, fui comendo aquele cu devagar, desfrutando de cada estocada que meu pau dava e era muito gostoso sentir meu pau sendo apertado por aquele cu. Ele começou a gemer gostoso e se masturbar ao mesmo tempo que eu comia ele e falava o tempo todo pra eu meter sem dó, que queria que meu pau entrasse no cuzinho dele.

Eu senti que meu pau ia estourar, tirei meu cacete de dentro mas ele reclamou, dizendo que tava muito gostoso e que queria mais, então dessa vez peguei ele com mais força pela cintura e disse:
– É rola que você quer? eu vou te dar seu putinho, quero que você rebole gostoso no meu pau – E ele obedeceu enquanto eu enchia aquela bunda gostosa e gulosa de tapas até ficar toda marcada.

Eu metia forte, fazia um barulho enorme do meu saco batendo nele e ele se masturbando loucamente não demorou pra gozar gostoso, ele gozou no chão e foi uma baita de uma gozada, mas eu ainda aguentava mais e depois de mais uns 10 minutos comendo seu cu eu avisei que ia gozar na cara do meu viadinho, tirei a camisinha e soltei um jato de porra na boca dele. Fiquei com o corpo todo elétrico, foi uma gozada bem gostosa.

Depois dessa aventura a gente entrou no mar, fomos lavar o corpo, ele me chupou mais uma vez e fomos embora pra casa prometendo nos encontrar mais vezes pra essa sacanagem que rolou. Depois dessa primeira vez acabei ficando viciado em homem e meu sonho é comer minha mulher e um cara ao mesmo tempo.

Postar um comentário

Designed by OddThemes | Distributed by Gooyaabi Templates