Na época do carnaval

Contos Eróticos - Flaralove

Olá. Após ler muitos contos aqui, resolvi contar uma das minhas histórias. Me chamo Aline, tenho 27 anos e me descobri lésbica aos 19. Há pouco mais de dois anos, me Interessei pela Luiza. Luiza era magra, baixinha, com um corpo super desenhado e com o gênio bem forte, o que de certa forma me excitava. Acabei conhecendo Luiza e até que ficássemos, se passaram 2 meses de conversas todos os dias, com assuntos intermináveis e era tudo maravilhoso. Dormíamos de conchinha, ela já sabendo à respeito da minha sexualidade e nada acontecia... Uma das vezes, tirei a blusa dela e acariciei as costas dela durante cerca de uma hora, alternando entre passar lentamente as pontas dos dedos e a unha... Aquele dia eu estava cheia de tesão e não sei como aguentei todo aquele tempo sentindo o corpo dela e segurando a minha onda... os dias passaram até que ela confessou que estava sentindo muita vontade de me beijar e que embora achasse isso tudo muito louco, ela queria muito e não estava nem aí para as consequências.

Assim foi feito. Era carnaval e um dos dias, não deu mais pra segurar e como é gostoso esperar chegar no limite e fazer com aquela vontade... começamos a nos beijar de maneira lenta, onde passava a minha língua pelos lábios quentes dela, antes que as nossas línguas se tocassem com aquele gostinho de quero mais. O meu tesao só aumentava, mas sentia que por parte dela, o beijo era muito mais afetuoso do que sexual, mas aquilo estava me enlouquecendo. Então, comecei a acariciar os braços dela, passando a unha bem devagar e ali fiquei durante um tempo, pois cada centímetro que eu tocava, me deixava com mais vontade. Sem tirar a mão do corpo de Luiza, passei entre os seios e comecei a acariciar sua barriga, enquanto deixava as vezes um dedinho encostar em seus seios deliciosos e senti que para ela, estava tudo bem.

Aí então comecei a acariciar os mamilos dela, que logo ficaram durinhos e aí substitui minha mão pela minha boca, quando ela deu uma suspirada gostosa que me lembro como se fosse hoje. Assim minha mão continuava a percorrer a barriga de Luiza e eu só pensava em sentir o gosto daquela xaninha e imaginar como ela seria... daí, minha mão passou por seus quadris e comecei a passar a unha nas suas coxas, na parte de dentro, de fora e senti que ela ficou totalmente arrepiada. Que delícia àquela sensação e resolvi deixá-la ainda com mais vontade antes de chegar no Ouro. Tirei as mãos dali e substitui pela minha língua. Ela passava pela parte interna da coxa e chegava até a virilha, enquanto sentia a respiração dela ficar ofegante e daí passava para o outro lado, passando a língua na virilha, na parte superior daquela xaninha, até que não aguentei e puxei a calcinha pro lado e passei só a pontinha da língua... Ai, aquele grelinho estava inchado naquela xaninha lisinha e toda molhadinha pedindo pra eu chupar como nunca havia sido chupada antes... eu não aguentava mais esperar, já estava quase gozando só em estar com a língua ali e sentir toda aquela vontade. Tirei a calcinha dela e comecei a passar toda a língua em cada milímetro daquela delicia totalmente molhada... sugava aquele grelinho e cada vez que eu sugava, mais Luiza se contorcia de tesão, embora eu tivesse certeza que ela estava tentando se controlar por conta de toda a timidez dela. Ver que ela não estava aguentando mais tentar se controlar, me enlouquecia.

Continuei, mas agora com dois dedinhos fazendo um vai e vem bem gostoso ainda chupando até que como uma explosão, ela teve um orgasmo delicioso com direito a uma tremedeira que ainda após o fim do orgasmo, permaneceu.

Minha vontade não acabava, nunca chupei ninguém com tanta vontade e aí então resolvi beijar mais um pouco a coxa de Luiza, em volta daquela xaninha deliciosa e fazendo carinho menos maldoso, como se fosse apenas esperando que toda aquela tremedeira passasse e uma forma de mostrar todo aquele carinho que estava sentindo. De repente, me vi trocando os lábios que beijavam aquela área, pela língua novamente, deslizando devagar até chegar novamente naquela delicia meladinha e recomeçar o trabalho. Dessa vez, não demorou quase nada até que Luiza apertasse meus braços pedindo mais e apertasse com as coxas a minha cabeça enlouquecendo de tesão até que a fiz gozar novamente e dessa vez muito mais intensamente... Ali então ficamos abraçadas durante o resto da noite. Delícias como essa se repetem até hoje...!

Postar um comentário

Designed by OddThemes | Distributed by Gooyaabi Templates